gototopgototop
Educação a Distância

Referência em Fisioterapia na Internet

Referência em Fisioterapia na Internet

FisioWeb em Foco

Reportagens
FisioVídeos

Acesso - Usuário



Nossos Sites

Inform@tivo

Assinar

Assine e receba periodicamente os nossos comunicados e promoções de produtos e eventos.
Termos e Condições de Uso

Buscador - Artigos

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Educação a Distância
Banner
Educação a Distância
Educação a Distância

Inform@tivo

Assinar

Assine e receba periodicamente os nossos comunicados e promoções de produtos e eventos.
Termos e Condições de Uso
Exercícios resistidos na prevenção da sarcopenia em idosos Imprimir E-mail

Educação a Distância

Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 


Resistance exercises in the prevention of Sarcopenia in elderly

Trabalho realizado por:

Joicy Maikely Batista Pereira.

Aluna do curso de Graduação em Fisioterapia da Universidade Paulista – UNIP.

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) apresentado ao curso de graduação em Fisioterapia da Universidade Paulista – UNIP, como requisito para a obtenção do grau de Bacharel em Fisioterapia.

Contato: joicymaikelybp@gmail.com

Orientadores:

Xisto Sena Passos.

Doutor em Medicina Tropical pela Universidade Federal de Goiás. Professor Titular do Curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP.

Dayanna Ferreira de Souza Marin.

Professora da Universidade Paulista – UNIP, Goiânia-GO.

Palavras chaves: exercícios resistidos, sarcopenia, idosos e prevenção.

Email: joicymaikelybp@gmail.com

 

Resumo

A Sarcopenia é uma alteração fisiológica que acomete idosos, tem um quadro clínico de fragilidade onde se aumenta os índices de incapacidade funcional, e dependência física, caracterizada por múltiplos fatores. Os exercícios resistidos é um método eficaz tanto na prevenção quanto tratamento da sarcopenia, é uma modalidade terapêutica que utiliza exercícios resistidos como meio de prevenção ou cura, exercendo um papel importante no aumento da massa e força muscular em idosos os mesmos apresentam resultados positivos, tanto nos aspectos físicos quanto emocionais dos idosos. O pico de massa muscular é fundamental para retardar a perda fisiológica do envelhecimento. O objetivo deste estudo é descrever os benefícios dos exercícios resistidos na prevenção da sarcopenia em idosos. À medida que se amplia o conhecimento a respeito da fisiopatologia e dos mecanismos de melhora da qualidade de vida, novas propostas terapêuticas surgem.

Descritores: Sarcopenia, exercícios resistidos, idosos, prevenção.

 

Abstract

The Sarcopenia is a physiological alteration that affects the elderly, it has a clinical state of weakness, with increasing of functional disability rates and physical dependence, characterized by multiple factors. The resistance exercises is an effective method both the prevention and treatment of sarcopenia, is a therapeutic modality that uses resistance exercises as a means of preventing or curing, playing an important role in increasing muscle mass and strength in older adults exhibit the same positive results, both the physical and emotional aspects of the elderly. The aim of this study is to describe the benefits of resistance training in the prevention of sarcopenia in the elderly. As our knowledge increases about the pathophysiology and mechanisms of improvement of quality of life, new therapeutic approaches emerge.

Descriptors: Sarcopenia, resistance exercises, elderly, prevention.

 

Introdução

Sarcopenia é a perda de massa muscular, associada a prejuízos da função. A diminuição da massa muscular pela idade resulta na diminuição da força muscular, a palavra sarcopenia tem origem grega, que literalmente significa, “perda de carne” (sarx = carne e penia = perda).

A sarcopenia é desencadeada por múltiplos fatores, diminuição da força muscular, baixo gasto energético, diminuição da velocidade de marcha, perda de massa muscular, sedentarismo, a prevenção da mesma deve-se iniciar precocemente entre os vinte e trinta anos de vida, que é quando o sistema neuromuscular atinge sua maturidade e força muscular máxima, a mesma se manterá até a quinta década, onde o idoso já começa um declínio de 10 a 15% até aos setenta anos, após isso essa diminuição de força muscular aumenta para 30% a cada década.

Acredita-se que no envelhecimento aconteça perda significativa de motoneurônios α, e unidades motoras ocasionando a perda de massa muscular que pode está associada à perda da função, sendo que 50% das perdas funcionais dos idosos estão relacionadas ao sedentarismo, e mecanismos naturais do envelhecimento, diminuindo a aptidão física e o desempenho.

A sarcopenia é conceituada pela degradação de massa corporal, força muscular e diminuição da disposição física, perda da autonomia, hospitalizações e mortalidade. Foram observados em estudos que os exercícios resistidos são essenciais para prevenção e tratamento da sarcopenia. O diagnóstico da sarcopenia pode ser realizado por ressonância nuclear magnética, bioimpedância, ultrassonografia, tomografia computadorizada, densitometria óssea, e também pode ser realizada por medidas antropométricas. Um dos métodos mais utilizados para realização do diagnóstico é a densitometria óssea que permite avaliar a composição corporal, ou seja, massa óssea, massa corporal e massa adiposa.

Os sintomas da sarcopenia podem ser abolidos ou tratados com exercício resistidos. Estudos com exercícios resistidos têm ótimos resultados, tanto na prevenção quanto no tratamento da sarcopenia, entre essas atividades estão exercícios com pesos, caminhada e aulas em academias.

O presente estudo objetivou identificar a importância da prevenção da sarcopenia em idosos, mostrando a eficácia dos exercícios resistidos, a fim de evitar que os mesmo cheguem a uma situação de hospitalização ou mortalidade, e para que mais pesquisas sejam feitas para melhorar e auxiliar na qualidade de tratamento destes pacientes.


Revisão da Literatura

Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de natureza narrativa. A busca bibliográfica foi desenvolvida na base de dados eletrônica Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), na Scientific Electronic Library Online (SCIELO), Bireme e no buscador Google. Os artigos científicos pesquisados datam do ano de 2004 a 2014. Como critério de busca, utilizaram-se descritores tais como, Sarcopenia, exercícios resistidos, idosos e prevenção.

 

Sarcopenia: fisiopatologia e etiologia

A sarcopenia é uma alteração fisiológica relacionada à idade que se caracterizada pela fragilidade, com isso aumentam-se os riscos de quedas frequentes, incapacidade funcional, fraturas, dependência física, hospitalizações ou até mesmo a morte.

Idosos do sexo masculino, fisiologicamente possuem maior massa muscular, e no decorrer do tempo os mesmo apresentam mais redução dessa, fato atribuído fisiologicamente ao declínio hormonal, Já em idosos do sexo feminino a incidência e menor, entretanto, por apresentar uma maior expectativa de vida a sarcopenia pode causar mais limitações funcionais em mulheres.

 

Classificação

Segundo o Consenso Europeu de Sarcopenia, a mesma é classificada em três estágios, a fase chamada de pré-sarcopenia, tem apenas uma diminuição na massa muscular sem efeito sobre a força muscular ou desempenho físico. A fase denominada de sarcopenia é caracterizada por uma diminuição da massa muscular, além da diminuição da força muscular ou baixo desempenho físico. Já a sarcopenia grave é o estágio identificado quando os três critérios da definição são identificados, baixa massa muscular, força muscular e desempenho físico baixo.

 

Sintomas e causas da sarcopenia

A sarcopenia surge, decorrente de alterações fisiológicas do processo de envelhecimento, ou seja, são as alterações que levará o idoso a adquirir a mesma, a diminuição da velocidade do passo, diminuição da massa muscular, força muscular, e diminuição da potência muscular que ocorre devido à atrofia das fibras do tipo II, diminuição do numero de fibras musculares, diminuição de hormônios, diminuição da síntese de proteína e unidade motora remodelada, o desuso da musculatura esquelética, que ira causar a hipotrofia muscular que e tanto pelo processo natural do envelhecimento quanto pela inatividade física, e os fatores nutricionais (9). As perdas de motoneurônios em último grau de intensidade, podem levar o idoso a tremores e fraqueza, porque ocorre perda de fibras musculares e como consequência ocorre a “morte” de neurônios que as inervam.

As perdas fisiológicas do envelhecimento começam a interferir na funcionalidade do idoso em atividades cotidianas, entretanto a potência é a principal desencadeadora da perda funcional, porque em atividade funcionais como caminhada, subir escadas, levantar, exigem pouca força muscular e maior potência.

 

Prevenção da sarcopenia

Dentre as diferentes formas de prevenção, o treino com exercícios resistido promove um grande efeito sobre o aumento da massa muscular e força muscular. O treinamento com exercícios resistidos e o mais utilizado para prevenção e tratamento da sarcopenia em idosos, no qual consiste no aumento da força muscular, a qual está diretamente ligada ao aumento da massa muscular, função física, e massa magra. Apesar de não contribuir para o aumento da massa muscular como os exercícios resistidos, os exercícios aeróbicos aumentam a área transversal das fibras mus¬culares, o volume mitocondrial e a atividade en¬zimática, levando mais nutrientes para o músculo, promovendo melhora na diminuição da massa muscular e força muscular, também diminui a gordura intramuscular melhorando assim a funcionalidade muscular e diminuição das perdas de unidades motoras. A nutrição adequada de um idoso com uma quantidade adequada de calorias, proteí¬nas e vitamina D também tem influência sobre a função muscular.

Durante uma pesquisa de revisão utilizando técnicas para o tratamento da sarcopenia apenas os exercícios resistidos mostraram-se eficazes na prevenção da sarcopenia.

 

Efeitos dos exercícios resistidos na prevenção da sarcopenia

Os exercícios resistidos são caracterizados por realizações de contrações musculares contra alguma forma de resistência que pode ser oferecida por equipamentos de musculação, pesos livres, elástico ou pelo peso do corpo. A aquisição de exercícios resistidos é de suma importância para prevenir a sarcopenia, retardando as perdas decorrentes do envelhecimento, e promovendo menor impacto sobre a qualidade de vida dos idosos.

Os exercícios devem ser dinâmicos, e não estáticos englobando o máximo possível de músculos do corpo, utilizando tanto movimentos concêntricos (levantar e empurrar) quanto excêntricos (suaves e controlados no retorno). A velocidade de realização do movimento de dois a três segundos para levantar o peso (contração concêntrica) e de quatro a seis segundos para abaixar o peso (contração excêntrica), o idoso deve realizar o arco de movimento completo sem dor, a carga utilizada poderá ser determinada pela 1 RM repetição máxima – RM (carga máxima que será levantada de uma única vez).

A literatura relata alguns parâmetros utilizados no treinamento resistido em idosos, com o objetivo de aumentar a força e massa muscular, e retardar o máximo possível os efeitos deletérios do envelhecimento:

Teixeira, Filippin, Xavier, propôs um esforço máximo de 70 a 80% de 1 RM, com séries de 1 a 3 e repetições de 8 a 12 por exercício. Já o descanso como sendo de 1 a 3 minutos, tanto entre as repetições como entre cada série. Em se tratando de frequência, afirmaram ser interessante de 2 a 3 vezes por semana, com ao menos 48 horas de descanso entre os treinos.

 

Discussão

Segundo Câmara, bastos, Volpe, exercícios resistidos aumentam a força muscular, contribuindo assim para o aumento da massa muscular melhorando a capacidade aeróbica e o equilíbrio, diminuindo ou retardando, a sarcopenia e a dependência física.

Power, Dalton, Behm, Doherty, Vandervoort, Rice, relatou que os exercícios aeróbicos possuem efeitos benéficos sobre a diminuição da perda muscular ao passar dos anos, e também uma diminuição de perdas de unidades motoras.

Arantes, Alencar, Dias, Pereira, verificou durante uma pesquisa de revisão sistemática a respeito das técnicas convencionais utilizadas na prevenção da sarcopenia como (exercícios de equilíbrio, flexibilidade, coordenação, força e tempo de reação), os autores concluíram que apesar de terem sido encontrados ganhos significativos em relação à força, equilíbrio e capacidade funcional, não foi possível, com as intervenções utilizadas, prevenir, reverter ou impedir a progressão da sarcopenia, no entanto os de força, “ou seja”, exercícios resistidos mostraram-se eficazes na prevenção da sarcopenia.

Romero, Caperuto, Maia, Ferreira, Os hormônios testosterona, hormônio do crescimento podem aumentar ou regular a massa muscular e a força muscular, também modulam a síntese e a degradação de proteína.

Rom, Kaisari, Aizenbud, Reznick, uma nutrição adequada de um indivíduo idoso com nutriente adequados promovem o anabolismo e minimiza a perda da massa muscular e força muscular.

Bernardi, Reis, Lopes, ressalta a importância dos exercícios físicos de força para a reversão da atrofia muscular, aumentando a força e a melhora da aptidão funcional em idosos com sarcopenia.

Kura, exercícios resistidos pode melhorar, manter, ou minimizar os declínios causados pela idade, a realização de exercícios regulares pode ser efetiva para a redução das perdas funcionais associadas ao envelhecimento.

Candeloro, verificou em um estudo com idosas, em um treinamento de hidroterapia encontrou melhoras significativas na flexibilidade e na força.

 

Conclusão

Neste presente estudo foi permitido mostrar que idosos portadores de sarcopenia, têm comprometimentos na sua funcionalidade acometidos principalmente por perda de massa muscular, força muscular e potência limitando o idoso a realização de suas atividades de vida diária. Comprovou-se que a realização de exercícios resistidos é visto como uma alternativa viável e eficaz, ocasionando no aumento da força e da massa muscular e melhora da potência. E que a realização de exercícios resistidos podem prevenir, melhorar, ou até mesmo reverter um quadro de sarcopenia. Os exercícios resistidos têm sido cada vez mais procurados por idosos, os mesmos sendo realizados corretamente trazem benefícios que refletem numa melhor qualidade de vida, fornecendo maior independência para o idoso. Portanto, prevenir e diagnosticar a sarcopenia, e dar início a um tratamento adequado resulta em mudanças positivas na capacidade funcional, autonomia e independência do indivíduo idoso.

 

Referências

1. Santos LTA, Vale RGS, Mello DB, Giani TS, Dantas EHM. Efeitos da cinesioterapia sobre os níveis de IGF-1, força muscular e autonomia funcional em mulheres idosas. Rev bras cineantropom desempenho humano. 2010;12(6):451–56.

2. Camara LC, Bastos CC, Volpe EFT. Exercício resistido em idosos frágeis. Rev fisioter mov. 2012;25(2):435–443.

3. Assumpção CO, Prestes J, LEITE R, Bertoldo C, Bartholomeu J, Pellegrinotti L. Efeito do treinamento de força periodizado sobre a composição corporal a aptidão física em mulheres idosas. Rev de Educação Física. 2008;19(4):581–590.

4. Kraemer WJ, Ratames NA. Fundamentals of Resistance Training: Progression and Exercise Prescription. Medicine e Science in Sports e exercise. 2004;36(4):674–688.

5. Teixeira VON, Filippin LI, Xavier RM. Mecanismos de perda muscular da sarcopenia. Rev bras reumatol. 2012;52(2):247–259.

6. Pedrinelli A, Garcez E, Nobre R. O efeito da atividade fisica no aparelho locomotor do idoso. Rev Bras de Ortopedia. 2009;44(2):96–101.

7. Silva TAA, Frisoli A, Pinheiro MM, Szejnfeld VL. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Rev bras de reumatol. 2006;46(6):391–397.

8. Cruz-Jentoft AJ, Baeyens JP, Bauer JM, Boirie Y, Cederholm T, Landi F, Martin F, Michel JP, Rolland Y, Schneider SM, Topinková E, Vandewoude M, Zamboni M. Sarcopenia: European consensus on definition and diagnosis. Rev age and Ageing. 2010;39(4):412–423.

9. Pícoli TS, Figueiredo LL, Patrizzi LJ. Sarcopenia e envelhecimento. Rev Fisioter do Mov. 2011;24(3):455–462.

10. Cardoso MC,Neto CRJ, Freitas RPL, Ferreira PPM. Exercício resistido frente à sarcopenia: uma alternativa eficaz para a qualidade de vida do idoso. Rev digital Ef deportes. 2012;17(1):1–15.

11. Garcia PA. Sarcopenia, Mobilidade Funcional e Nível de Atividade Física em Idosos Ativos da Comunidade. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. 2008;2(3):1–14.

12. Burton LA, Sumukadas D. Optimal management of sarcopenia. Clin Interv Aging. 2010;7(5):217–28.

13. Power GA, Dalton BH, Behm DG, Doherty TJ, Vandervoort AA, Rice CL. Motor unit survival in life-long runners is muscle-dependent. Med Sci Sports Exerc. 2012;44(7):1235–1242.

14. Kim JS, Wilson JM, Lee SR. Implicações dietéticas sobre mecanismos de sarcopenia: papéis de proteínas, aminoácidos e Antioxidantes. J Nutr Biochem. 2010;21(1):1–13.

15. Arantes PMM, Alencar MA, Dias RC, Dias JMD, Pereira LSM. Atuação da fisioterapia na síndrome de fragilidade. Rev Bras Fisioter. 2009;13(5):365–75.

16. Romero GF, Caperuto CE, Maia FA, Ferreira GL. Bases moleculares das ações da testosterona, hormônio do crescimento e igf-1 sobre a hipertrofia muscular esquelética e respostas ao treinamento de força. Rev Mackenzie de Educação Física e Esporte. 2013;12(2):187–208.

17. Rom O, Kaisari S, Aizenbud D, Reznick AZ. Estilo de vida e Sarcopenia - Etiologia, Prevenção e Tratamento. 2012;3(4):1–12.

18. Bernardi FD, Reis MAS, Lopes NB. O tratamento da sarcopenia através do exercício de força na prevenção de quedas em idosos. Rev ensaios e ciênc. 2008;12(2):197–213.

19. Kura GG. Nível de atividade física, IMC e índices de força muscular estática entre idosas praticantes de hidroginástica e ginástica. Rev Bras de Ciênc do Envelhecimento Humano. 2008;1(2):30–40.

20. Candeloro JM, Caromano FA. Efeitos de um programa de hidroterapia na flexibilidade e força muscular em mulheres idosas. Rev bras fisioter. 2007;11(4):267–72.

 

 

Obs:

- Todo o direito e responsabilidade do conteúdo são de seus autores.

- Publicado em 10/02/2015.

 

 

 

 

 

 


Artigos Relacionados:
 
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack