gototopgototop

Referência em Fisioterapia na Internet

Referência em Fisioterapia na Internet

FisioWeb em Foco

Reportagens
FisioVídeos

Acesso - Usuário



Nossos Sites

Inform@tivo

Assinar

Assine e receba periodicamente os nossos comunicados e promoções de produtos e eventos.
Termos e Condições de Uso
Banner

Buscador - Artigos

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Convênio - Estácio - FisioWeb
gototopgototop

Inform@tivo

Assinar

Assine e receba periodicamente os nossos comunicados e promoções de produtos e eventos.
Termos e Condições de Uso
Técnicas de Massagem de Beard E-mail
Avaliação do Usuário: / 10
PiorMelhor 

 

Trabalho realizado por:
Marceli - Alessandra - Juliana - Kátia - Renata
Sandro - Danielle

Orientador:
Prof. Blair José Rosa Filho

 

Perspectivas Históricas

Por volta de 1780, a palavra massagem era usada na Índia, tendo surgido na maioria das culturas européias por volta de 1800.

A massagem é mencionada como uma forma de tratamento nos registros médicos mais antigos, e seu uso persistiu durante toda a história escrita. A história da massagem é extensa e complexa.

 

I - Aspectos Gerais da História da Massagem

* Época Pré-histórica

Apesar de existir pouco evidência de que a massagem era praticada como uma arte curativa nos tempos pré-históricos, parece muito provável que isto ocorresse. Não é preciso muito para acreditar que algumas técnicas de massagem manual estavam em uso regular naquela época, juntamente com aplicação de vários compostos medicinais derivados de plantas, matéria orgânica e materiais inorgânicos.

* História Antiga

O uso de técnicas de massagem manual em muitas culturas antigas está sobejamente registrado em documentos pictóricos e escritos. A massagem também está descrita em um dos primeiros dos grandes textos médicos da Índia antiga. Quase todas as grandes culturas antigas do mundo descreveram, com certo detalhamento, os usos e benefícios da massagem, que freqüentemente era combinada com outros tipos de tratamento tradicional, sobretudo os tratamentos por banhos. As culturas egípcias, persa e japonesa, em particular, enfatizaram muito o uso da massagem e destes tratamentos correlatos.

* História Moderna da Massagem Médica (Europa, principalmente Grã-Bretanha)

Avanços no estudo da anatomia e fisiologia possibilitaram que os cientistas da época compreendessem mais acerca dos efeitos e usos de algumas dessas tradições mais antigas.

A descoberta da circulação sangüínea por Harvey, em 1628 contribui para aumentar a aceitação da massagem, como medida terapêutica.

A mais famosa e duradoura influência para a massagem é a contribuição dada por Pehr Ling (1776-1839). Ling desenvolveu seu próprio estilo de massagem e exercícios, que mais tarde adquiriram reconhecimento internacional.

Na Holanda, Johann Mezger (1839-1909) também utilizou amplamente da massagem tendo criado um estilo próprio. Em 1894 na Inglaterra, um grupo de quatro mulheres fundou a Society of Trained Masseuses. Durante a Primeira Guerra Mundial, o número de membros aumentou e por volta de 1920, havia cerca de 5.000 membros praticantes. Nesse mesmo ano, a sociedade fundiu-se com o Instituto de Massagem e Exercícios Terapêuticos (em Manchester).

A massagem considerada isoladamente passou a se tornar cada vez menos importante, à medida que outros modos de reabilitação iam se desenvolvendo.

Em muitas culturas asiáticas antigas, como a China, Japão e Índia, a massagem é ainda utilizada como parte dos métodos "tradicionais" de tratamento. Hoje em dia, graças ao ressurgimento do interesse na medicina holística e nos conceitos muito popularizados de bem-estar, o público, em geral, ainda deposita grande fé na colocação das mãos.

Existem muitas variações da técnica utilizada na massagem recreacional. Embora muitas dessas técnicas façam o cliente se sentir bem, elas podem Ter pouco valor terapêutico.

Massagem recreacional pode ser definida assim:

O uso de diversas técnicas manuais que objetivam aliviar o estresse e promover o relaxamento e o bem-estar geral em uma pessoa que não tem um problema de saúde definível.

Massagem terapêutica pode ser definida assim:

O uso de diversas técnicas manuais que objetivam promover o alívio do estresse ocasionando relaxamento, mobilizar estruturas variadas, aliviar a dor e diminuir o edema, prevenir a deformidade e promover a independência funcional em uma pessoa que tem um problema de saúde específico.

Tendo em vista que os efeitos principais da massagem terapêutica são mecânicos, uma técnica que não possui um componente mecânico não pode funcionar com base nos mesmos princípios.


II - Definições de Massagem

Não se pode encontrar uma definição abrangente de massagem na literatura médica mais antiga. O Thomas's Medical Dictionary (1886) oferece esta descrição: "Massagem, do grego, significando amassar. Ato de pressionar"

Em 1932, John S. Coulter (1885-1949) disse: "De acordo com o significado atual e geralmente adotado da palavra, massagem consiste em um grande número de manipulações dos tecidos e órgãos do corpo, com finalidades terapêuticas". Em 1952, Gertrude Beard (1887-1971) escreveu que massagem "é o termo usado para designar certas manipulações dos tecidos moles do corpo; estas manipulações são efetuadas com maior eficiência com as mãos e são administrados com a finalidade de produzir efeitos sobre os sistemas nervosos, muscular e respiratório e sobre a circulação sangüínea e linfática e geral"(Beard, 1952).


III - Terminologia da Massagem

Os termos empregados pelos vários defensores da massagem entre os gregos e romanos antigos, constituiam uma terminologia relativamente consistente. "Fricção", "atritamento" e "esfregamento" eram os termos mais freqüentemente utilizados; outros termos empregados neste período eram "esmurramento", "compressão" e "beliscamento".

Alpinus um italiano, usava o termo "atritamento", mas acrescentou "malaxação", "manipulação" e "pressão". Hieronymus Fabricius, um italiano parece Ter sido o primeiro a empregar o termo "amassamento" e também usou "atritamento".

No início do século XIX, Ling acrescentou os termos: "rolamento", "palmada", "beliscamento", "agitação", "vibração" e "mobilização articular" (um exemplo específico de uma parte do esforço atual na classificação dos movimentos da massagem).

McMillan (1925) usava effleurage, pétrissage, fricção, tapotement e vibração. Elizabeth Dicke e colaboradores (1978) usavam termos alemães e ingleses na descrição dos movimentos específicos na massagem em tecido conjuntivo.


IV - Descrições dos Movimentos da Massagem

* Pétrissage

Várias técnicas se incluem sob a denominação geral de pétrissage (do francês, significando pressão, amassar). Essencialmente, estas técnicas envolvem a aplicação de pressão aos tecidos em forma de amassamento. As técnicas podem ser efetuadas com toda a mão, com os dedos, ou apenas com o polegar.

* Amassamento

Algumas descrições do amassamento eram muito similares às da pétrissage. Mennell afirmava que os movimentos se assemelhavam muito, e que a única diferença está no fato de a pétrissage ser um movimento de levantamento do tecido com compressão lateral, enquanto que no amassamento a compressão é vertical.

Mennell começava o amassamento dos membros na parte proximal de uma área, prgredindo para a parte mais distal. Este amassamento é realizado com as duas mãos nos lados opostos do membro, quando toda a superfície palmar está em contato com a parte. Então, é aplicada uma pressão suave, habitualmente com as mãos funcionando em direções opostas.

* Fricção

As descrições para a fricção revelam grande confusão entre os praticantes desta forma de massagem. Kleen preconizava que a pressão devia ser bastante intensa, e Mennell dizia que a pressão devia ser leve, progredindo lentamente para maior intensidade, dependendo das condições presentes. Hoffa afirmava que a pressão procura penetrar mais profundamente. Mitchell e Kellogg diziam que ela deve ser moderada.

Graham dizia que a fricção pode ser circular ou retilínea.

Com relação aos teciodos aos quais a fricção deve ser aplicada, Kleen, Mitchell e Mennell usavam esta técnica em pequenas áreas, enquanto Graham estendia cada movimento de uma articulação à outra.

* Alisamento e Effleurage

Mennell e Kellogg têm pontos de vista divergentes. Estes autores usavam, ambos, o termo "alisamento", e Kellog afirmava que a direção "acompanha a corrente do sangue arterial", embora não tivesse mencionado a intensidade da pressão. Mennell dividia o alisamento em manipulações superficiais e profundas.

Despard usava os dois termos (alisamento e effleurage): a direção dos movimentos, para este autor, é centrípeta, mas a pressão, no caso do alisamento, é vigorosa, e na effleurage "deve variar conforme o estado do paciente".

Quase todos os autores concordam que o alisamento e a effleurage devem ser aplicados sobre áreas extensas. Mennell envatizava que os músculos devem estar relaxados, e Hoffa e Bucholz disseram que o movimento deve acompanhar o delineamento anatômico dos músculos


V - Componentes da Massagem

Os fatores que devem ser levados em consideração na aplicação das técnicas de massagem terapêutica são a direção domovimento, a intensidade da pressão, a velocidade e o ritmo dos movimentos, os meios utilizados (inclusive outros instrumentos além da mão), a posição do paciente e do terapeuta e a duração e freqüência do tratamento. Cada um destes fatores será considerado sob uma perspectiva histórica.

* Direção

A literatura mostra que até a época de Hipócrates, a direção da massagem era centrífuga (Johnso, 1866).

Galeno, cinco séculos depois de Hipócrates, variava a direção dos movimentos da massagem, dependendo da sua finalidade e da sua relação com o exercício. Mennell disse que todos os movimentos profundos da massagem deviam ser realizados centripetament, para ajudaar no fluxo venoso e linfático.

* Pressão

A consideração da pressão parece Ter sido importante desde a descrição mais antiga dos movimentos de massagem.

Mennell foi excepcional em seu raciocínio para o uso da massagem. Este autor afirmou que a intensidade da pressão depende somente do relaxamento muscular. Quando os músculos estão relaxados durante todo o tratamento, mesmo uma ligeira pressão deverá influenciar todas as estruturas na parte sob tratamento. Mennell acreditava que o movimento pode ser profundo, sem que seja vigoroso. As técnicas de massagem do tecido conjuntivo usam uma pressão firme, mas buscam evitar dor.


VI - Velocidade e Ritmo

Alguns autores mencionaram brevemente a velocidade dos movimentos de massagem, mas poucos estudaram o ritmo.

Na descrição dos movimentos de alisamento, alguns autores diferenciaram entre a velocidade do movimento inicial e a do movimento de retorno, tornando o movimento de retorno mais rápido, o que cria um ritmo irregular. Os movimentos na massagem do tecido conjuntivo são sem pressa, mas não com qualquer velocidade ou ritmo precisos.

* Meios

As histórias contadas por Homero nos mostram que já em 1000 a.C. foi empregado um meio oleoso para a massagem . O azeite de oliva era o meio preferido; acreditava-se que o próprio azeite tinha algum valor terapêutico. Os usuários mais recentes da massagem têm opiniões diferentes acerca do uso de maios para a massagem. Alguns fazem objeção a qualquer tipo de meio, e os que usam algum meio escolhem um óleo lubrificante ou um pó (talco) e os que não usam meio (massagem a seco) asseguram que esta modalidade é mais limpa, dá uma percepção mais correta das mãos e proporciona movimentos mais uniformes. Mennell dizia que a seleção de um meio depende da preferência pessoa e acreditava que o melhor é o mais simples.

* Posição do Terapeuta e do Paciente

Os autores mais antigos deram pouquíssimas indicações sobre a posição do paciente, ou do massagista, durante a prática da massagem. Nada foi publicado a este respeito até mais ou menos o século XVII. Hoffa, em 1897, recomendava um apoio para toda a extensão da parte do corpo em tratamento, de modo que os músculos ficassem relaxados.. Mennell, em 1945, dizia que os fatores mais importantes na realização de todos os movimentos de massagem são a posição do paciente e do massagista e a posição relativa de uma para o outro. Ao discutir o efeito da massagem no fluxo venoso, Mennell considerou o efeito da gravidade como sendo muito importante. Sua recomendação era a de que o paciente de veria deitar-se na mesa, numa posição que permitisse o relaxamento dos músculos abdominais, com as coxas apoiadas de modo a melhorar o fluxo venoso e linfático desde a parrte distal da extremidade inferior.

* Duração

Zabludowski preconizava que a duração devia serde 5 a 3 minutos, dependendo das dimensões da área afetada, idade do paciente, duração da enfermidade e constituição e hábitos do paciente. Mennell acreditava na necessidade de levar em consideração a idade do paciente, ao lhe ser administrada uma massagem. No início, frequentemente 20 minutos são suficientes, e os tratamentos poderão Ter suas durações gradualmente aumentadas. Semelhantemente, mais para o final do tratamento, as sessões deviam sofrer redução no tempo de aplicação.

* Frequência

Cada autor em determinada época dizia uma coisa diferente. Celsus, afirmou que: "Não devemos dar atenção àqueles que definem numericamente a frequência com que qualquer pessoa deverá ser massageada; porque este dado deverá ser obtido para cada indivíduo". Grosvenor, aconselhava o tratamento diário. Zabludowski, defendia a prática da massagem diária na maioria dos casos, mas acreditava que as reações físicas e psicológicas do paciente deviam determinar a frequência. Graham, reconhecia que a frequência do tratamento fazia parte da "dosagem" da massagem; a frequência devia ser regulada de acordo com o estado do paciente

 

Condições Básicas para a Massagem Terapêutica

I - Aspectos Éticos

O terapeuta deve ter padrões de higiene pessoal e limpeza, para que o paciente se sinta confiante do tratamento que irá receber, do mesmo modo também deve se Ter um alto padrão de prática ética, pois o tratamento com massagem, tem um contato direto do terapeuta com o seu paciente.

O terapeuta antes de iniciar o tratamento deve explicar ao paciente qual será o procedimento utilizado. Este deve estar sem relógio ou jóias, e deve demonstrar atitudes e movimentos espontâneos e relaxados.

II - Conhecimento da Anatomia Superficial

As técnicas de massagem exige que o terapeuta tenha um conhecimento da anatomia superficial, pois ao manipular é preciso que este esteja familiarizado com as estruturas anatômicas envolvidas.

III - Preparação das Mãos

As mãos devem estar limpas e as unhas bem cortadas e cuidadas, pois isto é extremamente importante tanto para o paciente quanto para o terapeuta. As mãos ideais para a massagem são as bem carneadas, quentes, flexíveis e secas, devem expressar sensibilidade e suavidade, firmeza e força. Porém as vezes é necessário a utilização de luvas e hidratante específico para as mãos. Devemos lavar as mãos antes e após o tratamento.

Nos tratamentos por massagem, as mãos executam 2 funções: dão movimento a pele, tecidos, músculos e outras estruturas e adquire informações sobre o estado destes tecidos.

IV - Lubrificantes

Na maioria das vezes é necessário o uso de lubrificantes (pós, óleos e cremes) o que facilitará os movimentos.

* Pó

Os pós tem uma grande vantagem quando comparados aos óleos e cremes, pois ele nos permite que o terapeuta manipule sem que ocorra risco da mão escorregar.

O sabão e água quente são utilizados para a pele seca e morta onde os tecidos estão subnutridos.

* Óleos e Cremes

Essas substâncias são úteis no tratamento, especialmente sobre cicatrizes, pele seca e em áreas deficientemente nutridas. Podemos utilizar vários tipos de creme ( lanolina, creme de vitamina, e ou creme evanescente), porém ele deve ser ligeiramente absorvido pela pele, a quantidade exata depende de cada pele e das mãos do terapeuta.

V - Equipamento

As mãos desempenham um papel muito importante para o tratamento com a massagem, isto é o equipamento mais importante, porém existem outros equipamentos que permitirão que o paciente se sinta bem sustentado em todas as posições. Entre ele temos 2 tipos terapêuticos, uma operada por eletricidade, temos também uma cadeira de massagem. Porém em todas as posições a cabeça, o ombro e as outras partes do corpo deverão ser apoiadas. Além dos equipamentos citados acima tem também um travesseiro de pronação, que apóia a cabeça e os ombros e o outro objeto é a "cunha" ou "travesseiro inclinado" que é empregada na sustentação dos membros inferiores.

VI - Cobertura e Posicionamento do Paciente

A posição do paciente é de suma importância para se obter um bom resultado, pois é preciso que este se encontre bem relaxado para que a massagem seja bem sucedida.

O paciente deve ser aquecido durante a massagem, e a parte que não for massageada deverá ficar coberta, a sala deve estar aquecida, sem barulho e de preferência o paciente será tratado individualmente.

O terapeuta deve ficar de pé, de modo que possa entrar confortavelmente em contato com o paciente, a massagem deve ser realizada lenta e confortavelmente para o paciente.

VII - Posições mais comuns

- Deitado supino (com a face voltada para o teto)

- Deitado em pronação (com a face voltada para o chão)

- Sentado (com as costas eretas) numa mesa acolchoada

- Sentado (com as costas eretas) em um banco ou cadeira

- Sentado (com as costas eretas) em um banco voltado para uma mesa acolchoada.

VIII - Posição do Terapeuta

Quando o paciente está deitado em uma cama ou mesa terapêutica, a melhor posição para o terapeuta é em pé, e os pés devem permanecer em contato com o chão em todos os momentos, para que o equilibrio seja mantido.

A mesa terapêutica deve ter uma altura adequada para o terapeuta reduzindo o risco de uma lesão dorsal.

Já na posição em que o paciente encontra-se sentado, a melhor postura para o terapeuta é sentado de frente para o paciente.

O terapeuta deve evitar uma excessiva flexão dos pulsos e heperextensão dos dedos.

IX - Componentes da Massagem

Cada movimento de massagem tem características únicas. Os componentes essenciais são entre eles:

- Apoio e posicionamento confortaveis dos pacientes, de modo que possam ficar relaxados durante o tratamento;

- Manutenção das mãos flexíveis, de modo que se encaixem ao contorno da parte do corpo que esta sendo massageada.

- Estabelecimento da velocidade correta dos movimentos.

- Manutenção de um ritmo uniforme.

- Regulagem da pressão de acordo com o movimento que esta sendo realizado, o tipo de tecido (s) tratado (s), e a finalidade do tratamento.

- Manutenção do posicionamento postural adequado e da boa mecânica corporal.

E os fatores que tendem a inibir o relaxamento são:

- Dor ou medo da dor;

- Medo de um tratamento desconhecido;

- Ambiente estranho ou novo;

- Ruído excessivo;

- Luzes intensas ou escuridão total;

- Locais frios;

- Dificuldades respiratórias;

- Medo de se despir;

- Fatores psicológicos, etc.

Os fatores ambientais que podem facilitar o relaxamento são ambiente tranquilo; iluminação suave, temperatura moderada, ambiente sem corrente de ar e uma área de tratamento limpa e arrumada.

O Método do contraste para a facilitação do relaxamento, ensina ao paciente a perceber a diferença entre a contração e o relaxamento de um músculo. O paciente contrai os grupos de músculos com a máxima intensidade por cerca de 3 a 5 segundos, em seguida o paciente relaxa e o terapeuta pede para ele sentir a diferença , conseguindo assim um relaxamento geral. O relaxamento é induzido ao paciente, frequentemente através da conversa, podendo-se utilizar a música, no mesmo instante o terapeuta começa a descrever cenas, e o paciente tenta imagina-lá.

Os movimentos da massagem podem ser realizados em várias direções. 

As direções são:

centrípeta (na direção do coração); centrífuga (afastando-se do coração) entre outras. A presão varai de acordo com o movimento, podendo ser constante ou não. A sua velocidade dependerá da função especifica de um determinado movimento.

O tratamento por massagem podem ser realizado para muitas finalidades, podendo ser geral para todo o corpo, ou especifica para uma determinada estrutura. A massagem deve ser feita diariamente, e a sua duração varia de acordo com as necessidades dos pacientes.

Classificação e Descrição dos Movimentos de Massagem

Os movimentos individuais da massagem podem ser classificados por diversos modos:

I - Manipulações de Alisamento

Um movimento de alisamento é realizado com toda a superfície palmar de uma ou ambas as mãos, movimentando-se em qualquer direção na superfície do corpo.

O alisamento é útil para dar início a uma seqüência de massagem; permite que o paciente se acostume à sensação transmitida pelas mãos do terapeuta e o terapeuta uma oportunidade de "sentir" os tecidos do paciente.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

O alisamento pode ser efetuado em qualquer direção, deve ser conveniente para o operador, e confortável para o paciente. É comum o alisamento avançar em uma direção a cada vez. Tipicamente, os movimentos avançam ao longo de uma linha paralela ao eixo longitudinal do corpo ou transversal ao eixo longitudinal. Este movimento também pode ser efetuado diagonalmente.

O movimento deve ter continuidade enquanto a mão estiver em contato com a pele. O alisamento deve ser rítmico, casa contrário, o estímulo será desigual. O início de cada alisamento deve ser definido, mas suave. A manipulação pode ser efetuada com uma ou ambas as mãos. Se forem utilizadas as duas mãos, podem ser usadas alternadamente, uma das mãos afasta-se do paciente, enquanto a outra faz contato. Para alisamento de pequenas áreas como a face, podem utilizar as pontas dos dedos.

* Velocidade do Movimento

O alisamento pode ser lento ou rápido. Lento relaxa e rápido estimula os tecidos.

* Profundidade e Pressão

O alisamento "superficial", usa uma pressão menor, já o profundo a pressão é muito maior, afetando estruturas mais profundas.

* Variações

* Alisamento Superficial - é lento e suave, firme para o paciente tomar consciência da passagem da mão durante todo o movimento; administrando assim, este alisamento é relaxante.

* Alisamento Produnfo - é administrado com pressão maior, efetuado com lentidão, tende a estimular a circulação ao tecido muscular profundo, é aplicado na direção do fluxo venoso e linfático.

* Efeitos do Alisamento

Pode obter relaxamento significativo; aliviar a dor; efeito sedativo; se o alisamento for rápido, estimula as terminações nervosas sensitivas.

* Usos Terapêuticos do Alisamento

Alívio do espasmo muscular; alívio de flatulência; relaxamento (indução do sono).

* Contra-Indicações ao Alisamento

Queimaduras; feridas; varicosidades significativas; áreas de hiperestesia.

II - Manipulações de Effleurage

É um movimento de alisamento lento, realizado com pressão crescente e na direção do fluxo venoso e linfático. É um movimento que objetiva mobilizar o conteúdo das veias e vasos linfáticos, útil como meio de facilitar a circulação e mobilizam os líquidos teciduais, também é um movimento utilizado no acabamento de uma seqüência de massagem.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

É administrado na direção do fluxo venoso e linfático. É efetuada com a superfície palmar de uma mão ou as duas, trabalhando alternadamente ou simultâneamente. Em área pequena como a face, faz-se com as pontas dos dedos ou polegar. O movimento tem de ser suave e ritmico, direcionado para um grupo de linfonodos, seguindo o trajeto das veias e linfaticos superficiais trabalhando sempre de áreas distais para proximais.

* Velocidade de Movimento

Realizado com bastante lentidão, o rítmo deve ser equilibrado e constante.

* Profundidade e Pressão

Deve ser realizado os movimentos de effleurage com pressão significativa, deve aumentar gradualmente.

* Efeitos da Effleurage

Se for aplicado profundamente, estimula a circulação; aumenta a mobilidade dos tecidos moles superficiais.

* Usos Terapêuticos do Effleurage

Para melhorar a absorção dos produtos do catabolismo; Edema crônico; distúrbios cardíacos; alívio da dor; relaxamento.

* Contra-Indicações do Effleurage

Queimaduraas; úlceras; feridas abertas; varicosidades significativas; hiperestesia.

III - Manipulações de Petrissage (Pressão)

Abrange diversos movimentos de massagem distintos, caracterizados por uma firme pressão aplicada aos tecidos.

IV - Amassamento

É uma manipulação em que os músculos e tecidos subcutâneos são alternadamente comprimidos e liberados. Esses movimentos de amassamento exercem intensa ação mecânica e afetam os tecidos profundos.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

É um movimento que as mãos e a pele se movem juntas sobre as estruturas mais profundas e realizada com pressão aos tecidos. O amassamento pode ser efetuado com várias partes da mão, com toda superfície palmar e as almofadas, pontas dos dedos ou polegar. A direção básica do movimento é circular, primeiro o movimento é com pressão e depois a pressão é liberada.

* Velocidade do Movimento

O amassamento é aplicado com lentidão, se for aplicado com rapidez, pode ser que se torne ineficaz, ao usar a mão, cada movimento circular deverá gastar de 3 a 4 segundos para se completar.

* Profundidade e Pressão

O amassamento exige uma pressão significativa nos tecidos, para dar certo, é aplicada com bastante leveza em estruturas delicadas (face ou dorso das mãos).

* Variações

* Amassamento por compressão, ou palmar, circular, mão espalmada e mão inteira - Nesta manipulação, os tecidos são comprimidos para cima e para dentro, em movimento circular, em seguida são liberados.

* Amassamento por compressão - é semelhante a técnica básica de amassamento, os tecidos são pressionados para cima e levantados de forma a afastá-los dos tecidos subjacentes; depois comprime suavemente e relaxa. São aplicados estes amassamentos em massas musculares volumosas (coxa).

* Amassamento com as almofadas dos dedos - movimento é circular, efetuada com almofadas nas pontas dos dedos, usando as mãos. A técnica é útil no tratamento de áreas pequenas (tornozelo).

* Amassamento com a almofada do polegar - utiliza-se os dois polegares ou um, é útil nos músculos como flexores e extensores dos pulsos e dedos, tíbial anterior.

* Amassamento reforçado - com uma mão sobre a outra, faz o amassamento reforçado tratando pacientes robustos.

* Amassamento com os nós dos dedos - utilizados em pequenas áreas onde precisa de aprofundamento (sola do pé).

V - Beliscamento

Técnica efetuada amplamente em tecidos musculares, mobilizando músculos individuais ou grupos de músculos, são agarrados, erguidos dos tecidos subjacentes, comprimidos e liberados.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

Feita com apenas uma das mãos, em um músculo ou grupo muscular. O tecido a ser tratado é agarrado com a mão toda, com o polegar em abdução. A pressão é feita de cima para dentro, em um movimento circular na direção dos tecidos, depois agarrados com a palma da mão, são levantados e afastados das estruturas subjacente, são liberados e a mão desliza ao longo do ventre muscular.

* Velocidade do Movimento

Deve ser lento, contínuo e rítmico, sendo tratado todo o ventre do músculo, da origem até inserção.

* Profundidade e Pressão

Deve ser feita pressão para o agarramento e levantamento do tecido, são apertados e depois liberados. Não é uma técnica tão profunda.

VI - Torcedura

Movimento em que os tecidos são levantados e comprimidos alternadamente entre os dedos e polegar. Esta técnica é parecida com o beliscamento, mobiliza músculos individuais ou grupos.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

Mãos posicionadas ao longo do eixo muscular, são agarrados os tecidos, levantados, depois comprimidos, parece a torcedura de uma toalha. As mão movimentam-se alternadamente, operando transversalmente, para um grupo muscular pequeno, usa-se as pontas dos dedos.

* Velocidade do Movimento

É feita de forma lenta e média. Em um grupo grande: mais rápida; e em pequeno: mais lenta.

* Profundidade e Pressão

No movimento de torcedura, tem de ter pressão razoável, a pressão tem que ser regulada para não beliscar o paciente grosseiramente.

VII - Rolamento da Pele

Os tecidos subcutâneos são rolados sobre estruturas mais profundas, melhora no funcionamento das articulações e membros que ficam comprometidos por uma imobilidade da pele.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

As mãos repousam, polegares estirados e afastados; os dedos estendidos escorregam levando o tecido em direção aos polegares, fazendo movimento ondular.

* Velocidade do Movimento

É feita de forma lenta, não beliscando os tecidos e nem causando dor.

* Profundidade e Pressão

Não utiliza-se muita pressão, porém em algumas áreas pode ser difícil pegar a pele e aplicar o rolamento devido a dificuldade de puxar a pele.

* Efeitos da Pétrissage (Pressão)

* Sobre a circulação - melhora o fluxo sangüíneo, da linfa, vasodilatação.

* Nos músculos - aumenta a irrigação sangüínea, relaxa os músculos, reduz a dor.

* Na pele e tecidos subcutâneos - resolução de processo inflamatório, promove elasticidade.

* Usos terapêuticos da Pétissage (Pressão) - Facilita a circulação; mobiliza contraturas musculares; resolução de edema; relaxamento.

* Contra-indicação da Pétrissage (Pressão) - Doenças cutâneas; Lesão nos vasos sangüíneos; Câncer; Tuberculose; Trombose.

* Manipulação por Tapotement (Percussão) - Abrange vários movimentos distintos de massagem.

VIII - Palmadas

Movimento feito com as mãos em concha golpeando rapidamente a superfície cutânea, comprimindo o ar, provocando onda de vibração, estimula o tecido, quando efetuadas nos pulmões, ajuda a liberar secreções.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

São aplicadas com movimentos alternados, com mão em concha.

* Velocidade do Movimento

São efetuadas com rapidez, estimulando o tecido.

* Profundidade e Pressão

As palmadas tem de ser rápida mais suave, os cotovelos ficam em posição confortável (terapeuta).

IX - Pancadas

Aplica-se as palmadas com uma ou duas mãos, estas ficam fechadas. É parecida com a palmadas, estimula os tecidos, e é estimulante.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

É efetuada a técnica com movimentos alternados, as mãos deslocam-se ao longo da parte do corpo sob tratamento, cobrindo toda área.

* Velocidade do Movimento

São aplicadas com rapidez, estimulando a parte em tratamento.

* Profundidade e Pressão

Movimento realizado mais rápido e com pressão maior do que a palmada, as mãos deslocam-se através da área tratada.

X - Cutilada

É um movimento efetuado com as mãos, onde as bordas laterais e as superfícies dorsais dos dedos golpeiam a pele em rápida sucessão, efeito estimulante e vigoroso.

* Técnica Básica e Direção do Movimento

O terapeuta fica em posição de oração, mais com as mãos separadas, são as bordas ulnares e superfícies dorsais do terceiro, quarto e quinto dedos que golpeiam a superfície cutânea. As mãos se movimentam de um lado para o outro ao longo dos músculos, os dedos devem estar relaxados durante o movimento; o movimento é efetuado transversalmente as fibras musculares e áreas ósseas devem ser evitadas.

* Velocidade do Movimento

Deve ser aplicado com maior rapidez possível e leveza, uma coordenação de esforços.

* Profundidade e Pressão

Não deve ser aplicada outra pressão além do peso dos dedos relaxados ao golpear.

* Variações

* Cutilada com a borda ulnar - o movimento é executado de modo igual, mas usa-se a borda ulnar da mão e dos dedos em áreas carnosas, para obter efeito mais profundo.

* Cutilada pontual - aplicada somente com as pontas dos dedos, utilizada apenas na face.

XI - Socamento

É um movimento em que as bordas ulnares dos punhos fechados, golpeiam alternadamente em rápida sucessão; é outro dos movimentos estimulantes.

* Técnica Básica e Direção do Movimento - O movimento parece muito com a cutilada. As mãos deslocam-se de um lado para o outro ao longo dos músculos.

* Velocidade do Movimento - Deve ser tão rápida quanto permita a coordenação do terapeuta.

* Profundidade e Pressão - É um movimento muito mais profundo que a cutilada, estimula massas musculares grandes e profundas.

* Efeito do Tapotement (Percussão)

* Efeito mecânico - o muco aderido pode ser solto do trato respiratório, de modo que possa ser expelido pela tosse.

* Efeitos Reflexos - vasoconstrição secundária, seguida pela vasodilatação, tem efeito estiramento facilitando a contração muscular.

* Usos Terapêuticos do Tapotement (Percussão) - Distúrbios crônicos do tórax; efeito estimulante; alivia nevralgia.

* Contra-indicação do Tapotement (Percussão) - Fraturas graves de costela; Embolia; Hipertensão severa; Flacidez.

XII - Vibração

É uma técnica praticada com uma ou duas mãos, delicado movimento de agitação ou tremor transmitindo aos tecidos. É um movimento que objetiva na ajuda de soltar secreções pulmonares, técnica estimulante sobre tecido muscualar.

* Técnica Básica e Direção do Movimento - A mão ou pontas dos dedos são posicionadas levemente sobre a parte. Para soltar e remover secreções pulmonares, as mãos podem ser colocadas sucessivamente sobre cada segmento pulmonar; pode ser do tipo para dentro e para fora.

* Velocidade do Movimento - Aplicadas durante a fase expiratória da respiração.

* Profundidade e Pressão - Pouca pressão é aplicada durante o ato de vibrar o tórax.

XIII - Agitação

É uma técnica com uma ou duas mãos, em que um movimento significativo de agitação rítmica, ou tremor, é transmitido aos tecidos. Ajuda na soltura das secreções pulmonares, é similar a vibração, realizada de modo muito mias "grosseiro".

* Técnica Básica e Direção do Movimento - Segurada com uma ou duas mãos, se movem de uma lado para outro, para dentro e para fora, ou para cima e para baixo. Mãos do terapeuta permanecem estáticos ou movimentam-se.

* Velocidade do Movimento - Aplicada durante a fase expiratória da respiração. Normalmente é um pouco lento.

* Profundidade e Pressão - A agitação é um movimento mais vigoroso que as vibrações, uma pressão bastante maior é aplicada durante a agitação do tórax.

* Efeitos das Vibrações e da Agitação

* Efeitos Mecânicos - soltam o muco aderente, mobilização dos gases, resolução do edema.

* Efeitos Reflexos - alivia a dor, facilitação da contração muscular.

* Usos Terapêuticos da Agitação e das Vibrações - Soltura do muco; Ajuda a expectoração; Aliviar flatulência; Resolver edema crônico; Alívio de nevralgia.

* Contra-indicação - Fraturas graves de costelas; Insuficiência cardíaca congestiva; embolia pulmonar; hipertensão severa; espasticidade.

XIV - Fricções Profundas (Fricções de Cyriax)

Consistem de movimentos breves, localizados e profundamente penetrantes realizados em direção circular ou transversal, são realizados pelas pontas dos dedos, almofada do polegar ou palma da mão.

Existem os movimentos transversais são leves e profundos e movimentos circulares, feitos no mesmo ponto. Essas fricções mobilizam os tendões, ligamentos, cápsulas e músculos.

* Técnica Básica e Direção do Movimento - Não se utiliza nenhum tipo de lubrificante na realização das fricções, são feitos sobre o tecido seco, somente após a aplicação da fricção que utiliza lubrificante fazendo o alisamento.

* Fricções Transversais - efetuadas em ângulo reto com eixo longitudinal das fibras nas estruturas envolvidas. A massagem deve ser aplicada no ponto correto; a estrutura tratada deve ser estirada, os dedos movimentam-se com a pele e tecidos subcutâneos, sobre os tecidos mais profundos; os movimentos devem possuir profundidade e amplitude de modo a atingir a lesão.

* Fricções Circulares - efetuadas com as pontas do segundo, terceiro e quarto dedos ou com o polegar. Os dedos devem ser posicionados obliquamente nos tecidos, são feitos movimentos em círculos profundos e depois aumentam a profundidade.

* Velocidade do Movimento - São efetuadas lentamente, com rítmo uniforme.

* Profundidade e Pressão - São feitos movimentos muito profundos, a pressão é aumentada nas primeiras passagens, pois ajuda o paciente a se acostumar com a sensação. O movimento é doloroso, mais não deve ser exagerado.

* Duração do Tratamento - 5 a 20 minutos, repetidos duas ou três vezes por semana.

* Efeitos das Fricções Profundas - Vasodilatação, dor, lesão local.

* Usos Terapêuticos das Fricções Profundas - Lacerações musculares; Lesões miotendinosas; Tendinites; Rupturas tendinosas; Tenossinovite; Torções Ligamentosas.

* Contra-indicação para as Fricções Profundas - Articulações inflamadas; Dermatite aguda; Psoríase; Trombose; Neoplasia; Infecções Bacterianas; Hematomas Musculares.

 

Efeitos Mecânicos, Fisiológicos, Psicológicos e Terapêuticos da Massagem

Segundo árabe Avicena: "o objetivo da massagem consiste em dispersar os metabólicos removendo assim a fadiga".

I - Efeitos Mecânicos da Massagem

* Movimento de:

Linfa

Sangue venoso

Secreções pulmonares

Edema

Conteúdo intestinal

Conteúdo de hematomas

* Mobilização de:

Fibras musculares

Massas musculares

Tendões

Tendões em bainhas

Pele e tecido subcutâneo

Tecido cicatricial

Aderências

II - Efeitos Fisiológicos da Massagem

* Aumento da circulação sangüínea e linfática;

* Aumento do fluxo de nutrientes;

* Remoção dos produtos catabólicos e metabólicos;

* Estimulação do processo de cicatrização;

* Resolução do edema e hematoma crônico;

* Aumento da extensibilidade do tecido conjuntivo;

* Alivio da dor ;

* Aumento dos movimentos das articulações;

* Facilitação da atividade muscular;

* Estimulação das funções viscerais;

* Remoção das secreções pulmonares;

* Estímulo sexual;

* Promoção do relaxamento local e geral.

Bell recomendou a massagem para o tratamento do edema provocado por fraturas, devido aos seus efeitos no fluxo venoso e linfático. A freqüência cardíaca aumenta.

Experimentos demonstram ocorrer pouquíssimo fluxo linfático quando um músculo está em repouso. Os estudos de Von Mesengeil, e de Kellgren e Colombo sobre os efeitos da massagem no fluxo linfático detectaram um aumento no fluxo linfático, quando os músculos foram massageados.

Investigadores afirmam que, no tratamento de distúrbios inflamatórios crônicos em que é certo que ocorrerá fibrose caso o líquido tecidual e a linfa permaneçam estagnados no local, a massagem na direção do fluxo linfático é a principal medida artificial para a mobilização do líquido extravascular para os linfáticos, e também para a mobilização da linfa na direção da corrente sangüínea.

Drinker e Yoffey também verificaram que os efeitos da postura eram muito evidentes, e que o fluxo linfático de uma parte dependente e quiescente era praticamente desprezível. Portanto, para influenciar mais eficientemente o fluxo linfático em qualquer área do corpo, parecia lógico que a parte fosse elevada durante a aplicação da massagem.

A idéia de usar forças mecânicas para afetar a circulação sangüínea e linfática não está limitada às técnicas de massagem manual.

Com efeito, aparelhos efetuam um tipo de massagem mecânica e mostraram ser consideravelmente benéficos no tratamento de muitos distúrbios circulatórios agudos e crônicos, mas sobretudo em casos de linfedema. Certamente, as técnicas da massagem manual também têm importante papel a desempenhar no tratamento do linfedema.

A massagem tem sido estudada por seu efeito na circulação, como meio de evitar a formação de úlceras de decúbito. Contudo, a massagem com esta finalidade não segue as técnicas de massagem tradicionais. Um modo mais eficiente de produzir uma rápida mudança na circulação sangüínea da pele consiste em massagear a área com um cubo de gelo. Neste casos, é o estímulo gelado que produz uma profunda vasodilatação, em seguida à vasoconstrição inicial.

III - Efeitos no Sangue

Mitchell (1904), Schneider e Havens (1915) e Pemberton (1950) afirmavam que a massagem inquestionavelmente aumenta a hemoblobina e os valores eritrocitários no sangue circulante, e que ocorre um aumento limitado, mas definido, na capacidade de oxigenação do sangue após a massagem.

IV - Efeitos no Metabolismo e Processo de Cura

Cuthbertson (1933) revisou a literatura existente sobre este tópico, estes foram seus achados:

* O débito urinário fica aumentado, sobretudo após a massagem abdominal;

* A excreção de ácidos não sofre alteração, e não há mudança no equilíbrio ácido-básico;

* As taxas de excreção para o nitrogênio, fósforo inorgânico e cloreto de sódio são aumentadas;

* Em pessoas normais, não há um efeito imediato sobre o consumo basal de oxigênio, ou na freqüência de pulso ou pressão sangüínea.

É importante que nos lembremos da importância crucial do sistema linfático, na remoção das proteínas plasmáticas e outras grandes moléculas, depois de ter sido depositadas no líquido intersticial.

V - Efeitos no Tecido Muscular

* Músculos Normais

Autoridades contemporâneas em geral concordam que a massagem não aumenta a força muscular.

Mennell (1945) afirmou que "apenas por um meio a força muscular pode ser desenvolvida, e este meio é a contração muscular.

Como um meio para atingir uma finalidade, a massagem pode ter utilidade em tornar possível, por exemplo, que um músculo seja submetido a mais exercício, desenvolvendo assim sua força.

Autores concluíram que a massagem pode causar relaxamento, que se expressa por um aumento no comprimento dos músculos. Bell (1964) informou que a fadiga muscular era aliviada com maior rapidez pela massagem e repouso, do que apenas pelo repouso.

Embora algumas afirmativas na literatura impliquem que a massagem aumenta o tono muscular, as evidências em favor desta colocação são inconclusivas, na melhor das hipóteses.

* Condições Patológicas do Músculo

A fibrose tende a ocorrer em músculos imobilizados, lesionados ou desnervados.

Com o uso cuidadoso das várias técnicas de massagem é possível aplicar tensão a este tecido fibroso; o objetivo consiste em impedir a formação de aderências, e na ruptura das pequenas aderências que já se formaram.

* Músculo Lesionado

Experiências demonstraram que os músculos massageados reapresentaram aspecto normal e maior volume muscular em geral.

* Músculo Desnervado

Dois grupos de macacos rhesus foram submetidos à secção unilateral do nervo ciático. Após 4 semanas, foram aplicadas massagens (alisamento e amassamento) e movimentos passivos durante 7 minutos diariamente a um grupo, enquanto o grupo-controle foi mantido em absoluto repouso. Após intervalos de 2 meses e de até 6 meses para outros, os músculos foram examinados microscopicamente. Os músculos mantidos em repouso estavam pálidos e circundados por septos espessados de tecido fibroso. Já os músculos massageados estavam flexíveis e elásticos e exibiam fibrose e aderências em quantidade consideravelmente menor.

Por ter prevenido até certo ponto a formação de tecido fibroso inelástico e de aderências, a massagem ajudou a manter uma relação favorável, permitindo uma recuperação mais satisfatória do funcionamento muscular.

Chor e colaboradores acreditavam que a atrofia e a degeneração do músculo esquelético desnervado são inevitáveis; em seguida, estes autores demonstraram que a massagem não impede a atrofia até um período de 6 semanas, mas devido ao seu efeito na quantidade de tecido fibroso formado, esta técnica realmente possibilitou aos músculos um retorno mais rápido ao normal, após a reinervação.

Os efeitos principais da massagem no tecido muscular podem ser resumidos como:

* A massagem não aumenta diretamente a força do músculo normal; contudo, como meio para atingir determinado fim, a massagem é mais efetiva que o repouso;

* Em termos gerais, a massagem não aumenta o tono muscular, mas certas manipulações podem ser aplicadas com o objetivo de facilitar a atividade muscular (sobretudo técnicas de percussão).

* A massagem não impede a atrofia no músculo desnervado.

* O objetivo da massagem no tratamento do músculo desnervado deve ser a manutenção dos músculos no melhor estado possível de nutrição, flexibilidade e vitalidade.

VI - Efeitos nos Ossos e Articulações

Pesquisadores concluíram que períodos breves de calor (cinco pacientes), massagem (dois pacientes), ou exercício ativo (três pacientes) tiveram pouco ou nenhum efeito na atrofia local do osso.

Muitas das estruturas que circundam as diversas articulações do corpo, são, com freqüência, locais de problemas crônicos. Em muitos casos de disfunção crônica, o tratamento objetiva a ruptura do tecido cicatricial, das aderências. A fricção profunda tem sido a técnica de escolha, visto que seu vigoroso efeito mecânico no tecido cicatricial tem evidente utilidade na restauração da amplitude de movimentos normais e indolores em uma articulação afetada.

VII - Efeitos no Sistema Nervoso

Sempre que a pele é tocada, ou os tecidos subjacentes são manipulados, são ativados diversos receptores sensitivos em vários tecidos.

Goldberg e colaboradores (1992) estudaram e demonstraram que uma técnica de massagem mais profunda produziu uma redução mais pronunciada na amplitude do reflexo H do que a massagem superficial. O efeito é de natureza reflexa.

O efeito sedativo da massagem geral pode ser facilmente demostrado, e Mennell, em 1945, afirmava que "há provavelmente um efeito no sistema nervoso central, bem como um efeito local nos nervos sensitivos e, possivelmente, motores".

Não foi ainda esclarecido quais mecanismos reflexos específicos são responsáveis, e nem o grau de simplicidade ou complexidade da ação ou ações reflexas.

Não é nova a idéia de promover efeitos específicos no sistema nervoso, ou de fato no controle nervoso de muitos órgãos e sistemas. A acupressura tradicional e muitas técnicas orientais de massagem se propõem a afetar uma série de funções do sistema nervoso.

VIII - Efeitos na Dor

A fricção vigorosa de uma área lesionada alivia a dor. A fricção da pele estimula mecanorreceptores cutâneos, e estes sinais aferentes são capazes de bloquear a transmissão - e, possivelmente, a percepção - dos sinais nociceptivos (dolorosos).

O conceito do "portão" nervoso na região do corno dorsal da matéria cinzenta da medula espinhal tem sido fundamental nas estratégicas inervencionais ou de pesquisa que envolvem a dor.

O portão pode ser "fechado" por impulsos sensitivos específicos provenientes dos mecanoceptores em diversas estruturas, mas sobretudo na pele. Quando o portão está fechado, a informação nociceptiva fica reduzida, e isso pode diminuir significativamente o nível de dor. Devemos lembrar que os próprios sinais nociceptores não são, em si, dolorosos. Apenas quando estes sinais atingem os centros cerebrais superiores serão interpretados como "dor".

A ativação do mecanismo de portão espinhal, as influências da supressão da dor descendente e a liberação de opióides endógenos são explicações razoáveis para o alívio da dor produzido pelas técnicas de massagem.

Os efeitos da massagem na circulação sangüínea e linfática também podem contribuir para o alívio da dor.

O alívio da dor também provém do efeito relaxante produzido por certas técnicas de massagem. Se o espasmo muscular é causa significativa da dor, então fica evidente que a redução do espasmo muscular ajudará a aliviá-la.

IX - Efeitos nas Vísceras

* Visceras Abdominais

Beard e Wood estavam convencidas de que a massagem do abdômen por amassamento e alisamento profundo é efetiva na estimulação do peristaltismo, para promover a evacuação de flatos e fezes do intestino grosso.

Klauser e colaboradores (1992) conduziram um estudo bem controlado dos efeitos da massagem da parede abdominal. Os resultados deste estudo colocam em séria dúvida a eficácia deste tipo de massagem para o tratamento da constipação crônica.

O tratamento por massagem do pâncreas foi sugerido por alguns autores. Mennell pensava que este órgão poderia ser afetado reflexamente, mas parece provável que este seja apenas um efeito indireto de uma melhora generalizada do tono vascular.

* Outros Órgãos Viscerais

Mennell questionava o uso da massagem para os rins.

A massagem direta do coração é utilizada como tratamento de emergência. Kouwenhoven e colaboradores comunicaram uma taxa de sobrevida prolongada de 70% para pacientes com parada cardíaca e que foram submetidos à massagem cardíaca a peito fechado.

X - Efeitos nas Secreções Pulmonares

As técnicas percussivas e vibratórias de massagem podem ser usadas em combinação com outras medidas de fisioterapia torácica, para evitar ou tratar distúrbios pulmonares agudos e crônicos.

XI - Efeitos na Pele

Pouco se sabe acerca do metabolismo da pele, e assim torna-se difícil avaliar como ele poderia ser afetado pela massagem.

A observação clínica demonstra que, em seguida à massagem a uma parte previamente engessada durante algumas semanas, pode ser notada uma melhora definida na textura e aspecto da pele. Se a pele ficou aderida aos tecidos subjacentes e se ocorreu formação de tecido cicatricial, movimentos de fricção e tensão são empregados para o afrouxamento mecânico dos tecidos aderidos, e também para o amolecimento de cicatriz.

Considerando que a pele é o órgão que primeiramente entra em contato com as mãos terapeuta, não é descabido esperar que a massagem exerça pelo menos alguns efeitos benéficos ou maléficos. Se for usada uma quantidade excessiva de talco ou óleo na pele, é provável que sua superfície fique entupida com resíduos do lubrificante.

XII - Efeitos no Tecido Adiposo

Krusen sustentava que as tentativas de redução dos depósitos localizados de gordura são inúteis.

XIII - Efeitos Psicológicos

Foram publicados poucos relatos de pesquisa experimental sobre os efeitos psicológicos da massagem.

Na massagem terapêutica, a atenção concentrada do terapeuta no paciente, em combinação com as agradáveis sensações físicas da massagem, estabelece freqüentemente uma relação pessoal de próximidade e de confiança. O terapeuta deve ter o cuidado de não permitir que o paciente fique demasiadamente dependente dessa relação.

O tratamento por massagem pode ter efeitos psicológicos negativos. Mennell (1945) alertava que "é mais fácil colocar um problema na cabeça do paciente do que retirá-lo do seu membro".

Muitos dos efeitos fisiológicos da massagem descritos anteriormente têm um componente psicológico significativo.

* Relaxamento Físico

O conceito de relaxamento não é principalmente físico. É, na verdade, tanto psicológico como fisiológico. Para que os músculos relaxem exige um esforço consciente para "se soltar". Técnicas de massagem apropriadas podem contribuir para este processo.

* Alívio da Ansiedade e da Tensão (Estresse)

À medida que a massagem promove relaxamento, também ajuda a erduzir a ansiedade e tensão. Isto ocorre porque o relaxamento precisa de um desligamento psicológico da ansiedade e da tensão.

* Estimulaçãp da Atividade Física

Certas técnicas de massagem são bastante estimulantes, produzindo uma forte sensação de revigoraamento.

* Alívio da Dor

A percepção da dor é em grande parte um conceito psicológico. Tem importantes substratos fisiológicos, mas há necessidade da mente consciente para que haja percepção da dor.

* Estímulo Sexual

É tanto um processo psicológico, como físico: a estimulação sexual ocorre na mente. Certamente, a estimulação periférica ajuda, mas todo o processo não é apenas uma simples ação reflexa.

* Sensação Geral de Bem-estar (Conforto)

O estado geral de relaxamento e o alívio do estresse, possivelmente em conjunto com a redução da dor, têm o efeito de induzir uma sensação de bem-estar no paciente.

* Fé Generalizada na Deposição das Mãos

A idéia de que a cura pode ser facilitada pelo toque no paciente é, certamente, muito antiga e comum a muitas culturas antigas. Se o ato de tocar uma pessoa faz com que esta pessoa acredite (um constructo psicológico) que irá ocorrer a cura, então não é desmasiadamente difícil imaginar que a cura poderá, de fato, ocorrer.

XIV - Principais Usos da Massagem Terapêutica

Os efeitos mecânicos, fisiológicos e psicológicos da massagem dão origem aos seus efeitos terapêuticos. Estes efeitos são a base para os usos terapêuticos.

Os principais usos são, portanto:

* Ajudar no relaxamento geral ou local;

* Aliviar a dor;

* Tratar:

- edema crônico;

- Tecido cicatricial;

- Lesões de músculos, tendões, ligamentos ou articulações;

- Hematomas;

- Constipação crônica (há pouca evidência apoiando esta indicação);

- Facilitação dos movimentos;

- Prevenção da deformidade.

XV - Contra-Indicações à Massagem

* Infecção aguda

- ossos (por exemplo, osteomielite)

- articulações (por exemplo, artrite séptica)

- pele (por exemplo, dermatite)

- músculo (por exemplo, miosite)

- tecido subcutâneo (po exemplo, celulite)

* Doença de pele (por exemplo, psoríase)

* Câncer ou tuberculose na área a ser tratada

* Áreas de hiperestesia grave

* Presença de corpos estranhos (areia, vidro)

* Doenças dos vasos sangüíneos (por exemplo, tromboflebite)

* A massagem pode ser ministrada, mas com grande cuidado, a pacientes que apresentem varicosidade significativa das veias, hemofilia ou edema visível.

XVI - Precauções Gerais

A massagem é um tratamento relativamente seguro contudo a lista a seguir contém muitas precauções que devem ser observadas antes, durante, e depois da massagem.

1. Obtenha um diagnóstico médico acurado;

2. Efetue um exame físico (clínico) apropriado;

3. Verifique cuidadosamente as possíveis contra-indicações ao tratamento;

4. Cubra, verifique o posicionamento, e apóie o paciente de forma apropriada;

5. Garanta um elevado padrão de limpeza, especialmente para as mãos (do terapeuta);

6. Efetua a massagem monitorada à resposta do paciente;

7. Avalie e documente a resposta do paciente ao tratamento.

 

Seqüência da Massagem Geral

Os movimentos individuais da massagem podem ser combinados em uma grande variedade de seqüências e técnicas, com o objetivo de alcançar um efeito específico ou, uma série de efeitos, tanto para o corpo todo, como para determinada parte do corpo.

A massagem melhora a circulação sangüínea e linfática, e seus efeitos são semelhantes ao do exercício, não devendo porém, substituí-lo, a não ser quando houver algum impecílio, como: impossibilidade de exercício ativo normal, se a pessoa estiver confinada à cama.. Nestes casos, a massagem geral diária estimula a circulação geral e proporciona sensação de conforto e bem-estar ao paciente. Na maioria dos casos, não se aplica a massagem geral diariamente, mas a local sim, pois ajuda na circulação, no caso de membros inferiores.

A massagem geral pode fazer com que o paciente fique fatigado, por isso o descanso após o seu término, quando possível, deve ser de 1 hora à 1 hora e meia. A fadiga é sinal de tratamento bem sucedido, porém, se após o período de repouso não houver melhora, a duração do tratamento foi longa ou a técnica vigorosa demais. O tempo estimado de massagem geral varia de 45 minutos a 1 hora.

I - Seqüencia e Técnica para a Massagem Geral

O terapeuta deve iniciar pela coxa, perna e pé direitos, passando depois para o esquerdo; braço, antebraço e mão esquerdas, depois à direita; tórax e abdômen . A mudança de um tipo de movimento para outro deve ser suave e ininterrupta e um ritmo definido deve ser mantido em todos os movimentos, sem atenção especial a grupos musculares.

O objetivo da massagem geral é produzir relaxamento e sedação, por isso, deve-se seguir uma seqüência para que o paciente mude de lado apenas o necessário. O terapeuta deve mudar de posição o mínimo possível e todos os movimentos devem ser eficientes e tranqüilos.

A massagem inicia com o paciente em decúbito dorsal, terapeuta em pé do lado direito da mesa. Um pequeno travesseiro ou rolo colocado sob a cabeça ou pescoço do paciente, permite que as mãos do terapeuta se movimentem suavemente em torno da parte posterior do pescoço e ombro, durante o tratamento do tórax e pescoço.Depois passa para o lado esquerdo. O paciente vira-se para decúbito ventral e a massagem termina nas costas.

Abaixo relacionamos a seqüência e as técnicas, e o número entre parênteses representa a quantidade de repetições para cada movimento.

* Coxa

* Alisamento Superficial na Coxa - movimentos alternados ou simultâneos das mãos, da espinha ilíaca ântero superior até o joelho.

* Amassamento Palmar no Quadríceps - movimentos de puxa-empurra o músculo; começa com a mão direita abaixo da patela e a esquerda acima da patela, os dedos são colocados na parte medial da coxa e o polegar na borda lateral. Caminha pelo músculo, chegando na parte proximal do quadríceps, onde a mão esquerda é retirada e a direita faz um último e leve movimento de espremer, retornando à borda inferior da patela com um alisamento superficial.

* Amassamento Palmar na Parte Posterior da Coxa - quadril e joelho ligeiramente flexionados, coxa em rotação externa, as mãos na superfície medial da coxa pegando os flexores no joelho, efetua-se o mesmo movimento realizado no quadríceps, as mãos são mantidas em uma direção mais transversal.

* Amassamento Palmar Alternado na Coxa - quadril flexionado e em rotação lateral ou reto, as mãos pegam a parte posterior da coxa, fazendo o amassamento, alternadamente rolando os músculos entre as palmas das mãos com uma firme pressão e em seguida relaxamento. As mãos retornam à posição inicial com um alisamento profundo.

* Alisamento Profundo na Coxa - as mãos pegam a coxa, circundando-a , próximo a articulação do joelho, os polegares abduzidos e demais dedos juntos. Com uma firme pressão da superfície palmar, as mãos movimentam-se cranialmente até a parte superior da coxa

* Perna e Joelho

* Alisamento Superficial na Perna - as mãos se movimentam desde o joelho até o tornozelo, cobrindo toda a superfície da perna.

* Amassamento com a Almofada do Polegar sobre os Músculos Tibiais Anteriores - a almofada do polegar é posicionada na origem dos músculos tibiais anteriores, o restante da mão na superfície da perna. Os polegares movimentam-se alternadamente em círculos, aplicando pressão para cima e para fora. As mãos deslizam para a área mais distal quando o círculo se completa, até a articulação do tornozelo.

* Amassamento nos Músculos da Panturrilha - a mão direita apóia a articulação do joelho na sua borda medial. A mão esquerda pega a parte lateral do grupo muscular distal ao joelho, e os músculos são tracionados na direção da borda lateral da perna, enquanto a superfície palmar dos dedos exerce pressão.Os dedos deslizam empurrando os músculos para cima e para a borda medial da perna, até chegarem no tornozelo.

* Amassamento Palmar Alternado nos Músculos da Perna - o movimento básico de amassamento é efetuado, utilizando a mesma técnica do amassamento palmar alternado da coxa.

* Alisamento em Torno da Patela - mãos na borda inferior da patela, alisam firmemente em torno da patela em movimento circular com os dedos flexionados e as pontas fazendo um leve contato, depois os dedos deslizam para a parte distal e os polegares deslizam sobre a patela.

* Amassamento Digital sobre o Espaço Poplíteo - as pontas dos dedos são posicionadas na borda do espaço poplíteo, em seguida alisam firmemente até a borda proximal e retornam à posição inicial com um alisamento superficial.

* Alisamento Profundo com ambas as Mãos em toda a Perna - mãos no tornozelo, alisam firmemente na direção do joelho, retornando ao tornozelo com um alisamento superficial suave.

* Pé

* Alisamento Superficial sobre o Peito do Pé - a palma da mão direita apóia a sola do pé, e a esquerda alisa desde o tornozelo até a ponta dos dedos, alternando sobre as superfícies lateral e dorsal medial.

* Amassamento com a Almofada do Polegar sobre o Peito do Pé - cada polegar em firme contato com o dorso do pé, e os demais dedos sobre a superfície plantar. O amassamento é realizado do tornozelo até as articulações metatarsofalangianas, e retornam à posição do tornozelo com um alisamento profundo sobre a mesma área. É repetido até que todo o pé tenha sido tratado.

* Alisamento Profundo com Almofada do Poelgar, no Aspecto Plantar do Pé - os polegares na base dos dedos do pé, o direito na borda medial e o esquerdo na lateral, e os demais dedos alisam firmemente em direções opostas a partir das bordas do pé, cruzando-se no centro. Progride desde a base dos dedos até o calcanhar.

* Alisamento Profundo Palmar no Aspecto Plantar do Pé - mão esquerda no peito do pé dá sustentação. A borda ulnar da mão direita é aplicada firmemente à superfície plantar na base dos dedos, faz-se um alisamento firme até o calcanhar com forte pressão, terminando com a palma repousando sobre a mesa.

* Alisamento Profundo Digital em torno dos Maléolos - mãos no peito do pé, pontas dos dedos na base dos dedos do pé e polegares se cruzando, faz um alisamento profundo na direção da articulação do tornozelo com uma pressão firme. No tornozelo, as mãos se separam, a mão esquerda alisa em torno do maléolo lateral e a direita no maléolo medial e retornam à base com alisamento superficial.

* Alisamento Digital do Tendão de Aquiles - punhos flexionados, lados radiais dos indicadores alisam firmemente para cima, em cada lado do tendão; voltam alisando levemente para baixo até o calcanhar.

* Alisamento Profundo na Perna e Coxa - as mãos deslizam da perna para a coxa com um alisamento profundo e retornam ao pé com um alisamento superficial.

* Alisamento Superficial da Coxa, Perna e Pé - movimentos de alisamento superficial são efetuados desde o quadril até o pé.

* Coxa, Perna e Pé esquerdos -O terapeuta passa para o lado esquerdo do paciente e repete todos os movimentos já descritos, as posições das mãos serão invertidas.

* Braço, Antebraço e Mão Esquerdos

* Alisamento Superficial na Extremidade Superior - mãos sobre o músculo deltóide fazem um alisamento conjunto ou alternado desde o ombro até as pontas dos dedos.

* Alisamento Profundo Palmar Alternado sobre o Músculo Deltóide - mãos na parte distal às bordas do músculo deltóide. A mão direita firme, alisa a metade posterior e a mão esquerda sobre a metade anterior, fazem um deslisamento na direção cranial (profundo ) e caudal (superficial ), alternadamente.

* Amassamento com a Almofada do Polegar na Extremidade Superior - efetuado em toda a superfície do membro dividida em três seções - anterior, lateral e posterior - desde o ombro até o punho e retornam até o ombro com um alisamento profundo.

* Amassamento Palmar no Braço e Antebraço - mão esquerda apóia o braço do paciente e a direita faz o amassamento (conforme descrito para a perna ), em seguida, repousa o braço sobre a mesa e apóia no punho e o antebraço é submetido ao amassamento (parte lateral). A mão direita retorna ao ombro e a esquerda ao cotovelo, com um alisamento superficial, para repetir o amassamento do braço e antebraço. No final do segundo amassamento, a mão esquerda retorna ao ombro, e a direita ao cotovelo apóia o braço em ligeira rotação externa com o antebraço em supinação e a mão esquerda faz o amassamento do tecido medial. Ao final do segundo amassamento com a mão esquerda, as mãos retornam ao ombro com um alisamento profundo.

* Amassamento Palmar Alternado da Extremidade Superior - movimento efetuado desde o ombro até o punho, como descrito para a perna. Na última repetição, as mãos retornam ao ombro com um alisamento profundo, mas permanecem no punho, para dar início ao amassamento com a almofada do polegar, no dorso da mão.

* Amassamento com a Almofada do Polegar, no Dorso da Mão - realizado nos espaços entre os metacarpianos, tem início no punho e progride na direção das articulações metacarpofalangianas, e chegam ao fim com um alisamento profundo pelos espaços metacarpianos de volta ao punho.

* Alisamento com o Polegar na Superfície Palmar das Articulações Metacarpofalangianas - mão do paciente em supinação e apoiada pelos dedos das duas mãos do terapeuta, que posiciona o polegar esquerdo na borda medial e o direito na lateral e, se convergem no movimento de alisamento com firme pressão, se cruzando e retornam com uma pressão leve.

* Alisamento com o Polegar sobre as Eminencias Tenar e Hipotenar - mão do paciente em supinação, terapeuta coloca o polegar esquerdo na eminência hipotenar e o direito na eminência tênar e fazem movimentos de alisamento alternados na direção do punho com firme pressão, retornando com alisamento suave.

* Amassamento com a Almofada do Polegar e demais Dedos - mão mantida em pronação e apoiada na mão esquerda do terapeuta. Polegar direito do terapeuta inicia o amassamento na articulação metacarpofalangiana, em uma pequena área medial do dedo mínimo, com firme pressão transversal ao dedo. O polegar passa suavemente sobre o dorso dos dedos e faz um amassamento na lateral, e retorna com um leve alisamento sobre o dorso do dedo. Repete-se o movimento na área distal, até alcançar a ponta do dedo.

* Alisamento Profundo na Extremidade Superior - as mãos alisam firmemente o membro em direção cranial, desde o punho até o ombro, e retornam com um movimento superficial.

* Alisamento Superficial na Extremidade Superior - as mãos alisam alternadamente do ombro até as pontas dos dedos.

* Braço, Antebraço e Mãos Direitos

O terapeuta contorna o pé da cama e fica de pé ao lado direito do paciente, perto da mão direita e repete toda a seqüência do lado esquerdo. Outra vez a posição das mãos serão invertidas.

* Tórax

* Alisamento Superficial da Parte Superior do Tórax - mãos alternam um alisamento desde os ombros até o esterno, com movimentos superpostos, passa-se para o lado direito sem perder o contato.

* Alisamento Profundo Sobre os Ombros e em torno do Pescoço - as mãos com os polegares aduzidos e as pontas dos dedos na metade inferior do esterno, fazem o alisamento simultaneamente; a mão direita avança suavemente em direção cranial e depois lateralmente e em torno da articulação do ombro esquerdo; a mão esquerda faz o mesmo movimento para o lado direito. As duas mãos continuam o movimento, alisando na direção da linha média do corpo, ao longo das fibras superiores do trapézio, se encontram na espinha cervical inferior e fazem o alisamento em torno do pescoço, arrastando firmemente os músculos para frente. A pressão diminui à medida que as mãos fazem o alisamento sobre a superfície anterior do pescoço, e retornam À posição inicial no esterno.

* Amassamento Digital desde o Esterno até o Ombro - pontas dos dedos da mão esquerda no esterno, sobre as fibras superiores do grande peitoral esquerdo, e a mão direita posiciona-se sobre a esquerda, reforçando-a.. Faz-se o amassamento no sentido horário, em pequenos círculos, com uma leve pressão na parte superior e externa do círculo e uma firme pressão na parte inferior interna.São feitos quatro círculos, até a área próxima ao ombro, e quando a articulação for atingida, a palma fará um alisamento em torno dela e toda a mão retornará em um alisamento profundo, de volta para o esterno.Após o número de repetições, passa-se então para o lado direito, com círculos no sentido anti-horário.

* Alisamento Profundo Alternado do Ombro até o Esterno - mãos com polegares aduzidos e dedos juntos na metade da extremidade inferior do esterno, com a palma, a mão direita faz um leve alisamento até a articulação do ombro direito,contorna a articulação e volta ao esterno com firme pressão. Depois passa para o lado esquerdo.

* Alisamento Digital em torno do Pescoço - mãos posicionadas como descrito no número 3. A direita faz um alisamento sobre a parte mais alta do ombro esquerdo e na direção da linha média do corpo, até as pontas dos dedos atingirem a espinha cervical inferior, faz-se um alisamento em direção cranial até que a palma da mão entre em contato com o pescoço, arrasta o músculo para frente, com firme pressão sobre a superfície anterior do pescoço e clavícula e exerce uma leve pressão e retorna à posição inicial. Passa-se para o lado direito.

* Alisamento Profundo sobre as Veias Jugulares - polegares em ampla abdução, demais dedos da mão direita no lado esquerdo do pescoço,e os da esquerda no lado direito, as bordas dos dedos indicadores nos lóbulos das orelhas, as mãos efetuam um firme alisamento em direção caudal, até a base do pescoço, e os polegares não fazem contato. As mãos continuam o alisamento até a extremidade dos ombros com pressão reduzida.

* Alisamento Profundo em torno do Braço - repita os movimentos para o alisamento profundo sobre o ombro e em torno do pescoço, reduzindo a pressão a cada passagem, até que o último movimento seja efetuado como um alisamento superficial.

* Abdômen - 

O terapeuta de pé ao lado da mesa, e à direita do paciente, este, com os joelhos flexionados e apoiados sobre um travesseiro.

* Alisamento Superficial no Abdômen - polegares em ampla abdução, mão direita sobre a borda inferior das costelas esquerdas; e a mão esquerda na mesma posição sobre as costelas direitas, fazem o alisamento simultâneo ou alternado, até a sínfise pubiana, retorna-se à posição inicial levantando as mãos sem tocar a pele.

* Alisamento Profundo na Parte Inferior do Abdômen - pontas dos dedos das mãos lado a lado na sínfise pubiana, a mão direita faz um leve alisamento para fora, até a espinha ilíaca ântero-superior esquerda, e a mão esquerda na direção da direita, acompanham a crista ilíaca, circundando até as costas na direção da espinha lombar superior. Em seguida, as palmas das mãos fazem um alisamento para frente, com uma firme pressão em torno da cintura e sobre o abdômen, até a sínfise pubiana. A finalidade deste movimento é manipular a musculatura abdominal, e não exercer pressão sobre o conteúdo abdominal.

* Alisamento Profundo sobre a Parte Superior do Abdômen - uma das mãos é posicionada de modo que os dedos situem-se sobre a borda ântero-inferior das costelas esquerdas, e a palma na base do esterno, a outra mão é colocada sobre o dorso da primeira, para reforço, e fazem um alisamento suave na direção teral sobre as costelas, e em seguida sobre os músculos abdominais superiores e retornam à posição inicial com uma firme pressão sobre a parte superior do abdomen.Faz-se para o outro lado.

* Amassamento Palmar sobre o Cólon - mão direita sobre o quadrante inferior do abdômen, com a borda ulnar ao longo do osso pubiano, medialmente à espinha ilíaca ântero-superior, a mão esquerda reforça a direita, e a borda ulnar da mão direita levanta os tecidos em um movimento de concha, realizado pela pressão, rolando a mão sobre a borda tênar à medida que a palma é empurrada na direção das pontas dos dedos. Em seguida, as pontas dos dedos são movimentadas para um ponto mais proximal sobre o cólon ascendente, enquanto a mão rola de volta até sua borda ulnar, e o movimento é repetido.No cólon descendente, a pressão é aplicada com a palma da mão em direção distal, e o movimento termina com um firme alisamento sobre a parte inferior da área do cólon descendente, com a mão passando suavemente sobre a parte inferior do abdômen até a área do limite inferior do cólon ascendente.

* Alisamento Profundo sobre o Cólon - pontas dos dedos da mão direita na borda inferior do cólon ascendente, e a mão esquerda reforçando-a.As pontas dos dedos fazem um firme movimento de alisamento sobre a área do cólon ascendente, através da área do cólon transverso, e em um sentido inferior sobre a área do cólon descendente; em seguida sobre a parte inferior do abdômen, até o ponto de início.

* Amassamento Palmar Alternado sobre todo o Abdômen - no lado direito do abdômen, as duas mãos com os polegares em abdução, agarram os tecidos e, por movimentos alternados de flexão e extensão nos cotovelos e ombros, progridem através do abdômen com um amassamento e, retornam juntas para o lado direito, com um alisamento superficial.

* Alisamento Profundo na Parte Inferior do Abdômen - repita o alisamento profundo na parte inferior do abdômen, reduzindo gradualmente a pressão até que o movimento passe a um alisamento superficial.

* Costas e Quadris - 

O terapeuta de pé ao lado da mesa, à esquerda do paciente, que estará deitado em decúbito ventral, com um travesseiro sob o abdômen e outro sob os tornozelos, e a cabeça em uma posição confortável.

* Alisamento Superficial nas Costas - mão direita sobre o ombro direito e a esquerda sobre o ombro esquerdo, com os polegares abduzidos, situados em um ponto imediatamente lateral aos processos espinhosos da primeira vértebra cervical, fazem um alisamento simultâneo até o sacro e retornam sem tocar a pele até a posição inicial. Na última vez, as mãos mantêm contato para continuar na seqüência.

* Alisamento Profundo Palmar nas Costas - os dedos das duas mãos iniciam o alisamento profundo no limite inferior do sacro; os polegares são cruzados para reforço, e as mãos efetuam o alisamento com uma firme pressão, em direção cranial, a cada lado dos processos espinhosos, separam-se no pescoço e fazem um alisamento na parte mais elevada do ombro, e os polegares fazem o alisamento até a primeira vértebra cervical, em ambos os lados dos processos espinhosos e retornam com um alisamento, arrastando os músculos para trás, até que as pontas dos dedos se encontrem na extremidade do ombro, e os polegares fazem um alisamento na direção caudal, em ambos os lados das vértebras cervicais. Depois, as mãos com os polegares em abdução, fazem um alisamento lateral à articulação do ombro e pelos lados das costas até a linha da cintura, na direção da linha média do corpo, e para baixo, até que as pontas dos dedos atinjam o limite inferior do sacro.As mãos fazem um alisamento na direção cranial sobre os ombros e retornam o alisamento caudalmente, até que as pontas dos dedos estejam nivelada às axilas, depois avançam lateralmente e fazem um alisamento até o sacro.As mãos fazem um alisamento em direção cranial e sobre o ombro, retornam o alisamento caudalmente até que os punhos do terapeuta se nivelem com a cintura; em seguida as mãos avançam lateralmente e fazem lateralmente o novo alisamento até o sacro.

* Amassamento com a Almofada dos Dedos sobre as Fibras Superiores do Trapézio - as almofadas dos dedosda mão direita, reforçada com as da mão esquerda, na região cervical superior, sobre as fibras do músculo trapézio direito, fazem amassamentos em pequenos círculos no sentido horário, progredindo até o processo acromial, e retornam à posição inicial com alisamento superficial. Passa para o lado esquerdo, onde os círculos são anti-horário.

* Alisamento Digital sobre as Fibras Superiores do Trapézio - polegares posicionados nas extremidades das fibras superiores do trapézio, lateralmente aos processos espinhosos das vértebras cervicais superiores. As palmas das mãos sobre a extremidade dos ombros, as mãos efetuam um firme alisamento até os acrômios, pegando o músculo quando os polegares alcançam a região cervical inferior, e retornam com alisamentos superficiais.

* Amassamento da Região Escapular - mão direita reforçada pela esquerda, com a palma acima da espinha da escápula direita, e o polegar lateral ao processo espinhoso da vértebra torácica superior, faz-se um amassamento em círculo no sentido horário, sobre a região escapular superior, em seguida desliza para efetuar novos círculos, até chegar na borda medial da escápula.Para massagear a região escapular esquerda, repita todo o processo citado.

* Amassamento Palmar Alternado sobre as Regiões Torácica e Lombar - as duas mãos no lado esquerdo da região torácica superior; a esquerda faz um alisamento transversal até o limite lateral da região dorsal direita com um afirme pressão e, durante o retorno desta mão para o lado esquerdo, a mão direita faz um alisamento transversal até o lado direito.Segue-se com estes movimentos até a região lombar inferior.

* Alisamento Palmar sobre a Região Lombar - mão direita reforçada pela esquerda, sobre as costelas inferiores no lado direito e os dedos ao longo das costelas, faz um suave alisamento desde a espinha até a região lombar lateral do lado direito, e retorna inferiormente às costelas, alisando na direção da espinha com uma firme pressão. Repete do outro lado.

* Amassamento com a Almofada do Polegar sobre o Sacro - polegares no limite superior do sacro, palmas em contato com as costas, acima da crista ilíaca. Os polegares fazem um amassamento alternado, em pequenos círculos, com uma pressão no sentido cranial, para o limite inferior do sacro. Ao retornarem, os polegares movimentam-se com uma firme pressão .

* Amassamento Palmar Alternado das Nádegas - a borda ulnar da mão direita na prega glútea direita, e a borda esquerda na área de origem dos músculos glúteos, a massa muscular é agarrada e amassada em um movimento alternado, aplicando-se uma pressão e evitando uma separação das nádegas. A nádega esquerda é massageada do mesmo modo.

* Amassamento Profundo das Nádegas - mão esquerda apóia o músculo, ou reforça a mão direita, enquanto esta efetua um amassamento profundo sobre a nádega direita, exercendo uma forte pressão para que seja evitada a separação das nádegas. Repita com a nádega esquerda.

* Amassamento Palmar Alternado sobre toda a Região das Costas - mesmo movimento realizado no amassamento alternado sobre regiões torácica e lombar, com início na parte superior da escápula, descendo por toda a costa.

* Amassamento Digital no Músculo Eretor da Espinha - este amassamento é realizado com o polegar de uma mão e os dedos da outra. As almofadas dos dedos indicador e médio das duas mãos são posicionadas em um local lateral aos processos espinhosos da região cervical inferior, e a falange distal de cada polegar fica uma ou duas polegadas abaixo das pontas dos demais dedos. Usando um movimento circular e uma firme pressão, os dedos da mão direita mobilizam para baixo uma parte do músculo, simultaneamente, o polegar esquerdo, também com uma firme pressão, pressiona uma parte do músculo para cima; então, o polegar direito pressiona uma parte para cima, enquanto os dedos da mão esquerda mobilizam para baixo uma parte do músculo, também com movimento circular. Passa de uma área para outra com deslizamentos dos dedos durante a pressão firme.

* Alisamento Profundo Palmar no Músculo Eretor da Espinha - palma da mão direita no centro da espinha, na cervical, e se move com um alisamento superficial até o sacro; a mão esquerda faz o mesmo percurso, antes que a direita finalize. Retorne sem contato com a pele.

* Alisamento Profundo Palmar na Região das Costas - repita o procedimento anterior, reduzindo gradualmente a pressão até terminar com alisamento superficial.

* Face

A massagem facial pode ser acrescentada a uma massagem geral. Pacientes com insônia respondem muito satisfatoriamente à massagem facial, e ajuda nos casos de cefaléia. Os movimentos são suaves, realizados em pequenas áreas, as mãos lavadas e secas.

* Alisamento Superficial na Face - palmas das mãos lado a lado sobre a testa, com as eminências tênares a cada lado da linha média, os dedos flexionados para se acomodarem à cabeça, com a suas pontas suavemente sobre o topo da cabeça. As palmas fazem um alisamento até os limites laterais da testa, retornando ao ponto inicial sem contato com o paciente. Enquanto as mãos giram nas pontas dos dedos. Repete-se movimentos acima, com as pontas dos dedos sobre a linha capilar, com as palmas sobre as bochechas. As pontas dos dedos deslizam suavemente desde a linha capilar até as têmporas, os polegares juntos no centro do queixo, fazem o alisamento lateral ao longo da borda da mandíbula, a´te o lóbulo da orelha e retornam ao queixo sem manter contato com a face. Mesmos movimentos acima, só que os polegares começam agora sob o queixo e fazem o alisamento da mandíbula até o lóbulo da orelha.

* Amassamento com a Almofada do Polegar na Testa - pontas dos dedos de cada mão nas respectivas têmporas, e os polegares no centro do limite inferior da testa, fazem um amassamento simultâneo, em pequenos círculos, continuando até a linha capilar e, retornam para o limite inferior da testa, sem contato com a pele. Repetir o movimento até que toda a testa tenha sido massageada.

* Alisamento Profundo na Testa - pontas dos dedos de cada mão fazem contato com ad têmporas, e as palmas com as bordas radiais juntas sobre a testa. As palmas fazem um alisamento lateralmente, a partir da linha média, com um afirme pressão, retornando sem contato com a pele.

* Amassamento Alternado com as Almofadas dos Polegares no Nariz - pontas dos dedos em contato com as têmporas, e as falanges distais dos polegares na ponta do nariz. O amassamento é efetuado nos lados do nariz, até a ponte nasal. Os polegares fazem uma pausa com firme pressão nas duas depressões formadas pela ponte nasal e a parte medial da crista supra-orbital, antes de retornar à posição inicial, sem contato com a face.

* Alisamento Profundo na Crista Supra-Orbital - polegares fazem alisamento para fora, com uma firme pressão sobre a crista supra-orbital e retornam sem fazer contato com a face.

* Alisamento Profundo da Crista Infra-Orbital - mesma posição anterior, e os polegares alisam a região sobre a crista infra-orbital e retornem à posição original pelo ar.

* Amassamento Digital desde a Tempora até a Espinha Cervical - polegares sem contato com a face, as pontas dos dedos efetuam um amassamento em pequenos círculos, iniciando nas têmporas e, acompanhando a linha capilar, continuando ao longo da parte posterior das orelhas até que os dedos se encontrem na espinha cervical. Os dedos continuam os movimentos com uma firme pressão pela espinha cervical até a sétima vértebra, e os polegares fazem contato com os limites anteriores do trapézio, e o alisamento tem continuidade com os polegares e demais dedos sobre as fibras superiores do trapézio, reduzindo gradualmente a pressão até o topo dos ombros. Retorne às têmporas sem contato com o paciente.

* Amassamento com as Almofadas dos Dedos, desde as Têmporas até os Ombros - as pontas dos dedos fazem um amassamento em pequenos círculos, começando nas têmporas, passando defronte das orelhas até os processos mastóideos. Os movimentos continuam sobre os dois ECOM e fibras superiores dos músculos trapézios, e até o topo dos ombros. Retorne às têmporas sem contato com o paciente.

* Alisamento Profundo sobre a Área das Veias Jugulares - mesmo movimento descrito para alisamento jugular sobre tórax, anteriormente.

* Amassamento Palmar nas Bochechas - pontas dos dedos suaves na testa, palmas nas bochechas fazem um amassamento em círculos, três vezes para frente e três para trás . As palmas não se movem sobre a pele, mas, com uma pressão, mobilizam os tecidos sobre a superfície óssea subjacente.

* Amassamento com as Almofadas dos Polegares no Queixo e Mandíbula - pontas dos dedos deslizam suavemente, para fazer contato abaixo das orelhas, polegares juntos no centro da borda inferior do queixo, fazer um amassamento simultaneamente, em pequenos círculos que vão subindo até o lábio inferior, retornando depois com um alisamento superficial, para o amassamento das áreas mais laterais do queixo. Os polegares continuam a manipulação sobre as mandíbulas, até os lóbulos das orelhas.

* Alisamento Profundo no Queixo e Mandíbula - mantendo todos os dedos em contato com a face, os polegares retornam ao queixo, em seguia, eles fazem um alisamento com uma firme pressão, desde o queixo até os lóbulos das orelhas, retornando sem fazer contato com a pele.

* Alisamento Profundo sobre as Veias Jugulares - sem perder contato, o terapeuta repete os procedimentos descritos para o Alisamento Profundo sobre os Ombros e em torno do Pescoço, na seção sobre o tórax.

 

* Escalpo

* Amassamento com as Almofadas dos Dedos sobre o Escalpo - polegares posicionados nas têmporas, com os demais dedos abertos e as pontas dos dedos aplicadas a cada lado da linha medial do escalpo. Os dedos fazem um amassamento com firme pressão, em pequenos círculos, em seções, até que toda a cabeça tenha sido massageada. As pontas dos dedos mantêm contato com a pele e mobilizam o escalpo sobre a superfície óssea. A pressão deve ser liberada antes que as pontas dos dedos sejam deslocadas para as demais áreas circunjacentes, para que os fios de cabelo não sejam puxados.

* Região Posterior do Pescoço

* Alisamento Superficial e Profundo sobre as Fibras Superiores dos Músculos Trapézios - os polegares são posicionados nos limites das fibras superiores dos músculos trapézios em ambos os lados, nas regiões laterais aos processos espinhosos das vértebras cervicais superiores. As palmas das mãos em contato com a extremidade dos ombros, deslizam suavemente até os acrômios, pegando o músculo quando os polegares alcançam a região cervical inferior. As mãos retornam à posição inicial com um alisamento superficial. A pressão é crescente, por volta do quinto alisamento, aplica-se um alisamento profundo, e as mãos retornam à posição inicial com alisamento superficial.

* Amassamento com as Almofadas dos Dedos sobre as Fibras Superiores do Trapézio - as pontas dos dedos da mão direita são posicionadas na região cervical superior do trapézio esquerdo, reforçada pela mão esquerda, os dedos fazem o amassamento em pequenos círculos no sentido horário, exercendo maior pressão em metade de cada círculo, e progride até o processo acromial. As pontas dos dedos retornam À posição inicial com um alisamento superficial.Repete-se do lado direito.

* Alisamento Profundo sobre as Fibras Superiores do Músculo Trapézio - mesmo movimento descrito para o item 1 desta seção, apenas a pressão inicia-se profundamente e é gradualmente reduzida, até chegar a um alisamento superficial.

Seqüências de Massagem Local

Várias manipulações de massagem podem constituir-se em uma parte extremamente útil do plano terapêutico total para o tratamento de um traumatismo ou afecção local O terapeuta deve possuir um conhecimento completo da anatomia e fisiologia das estruturas envolvidas e compreender as condições patológicas nos tecidos que serão tratados, para que o tratamento seja o mais efetivo possível. As técnicas de massagem constituem simplesmente uma das muitas opções para o tratamento de uma doença ou de um traumatismo localizado. É muito provável que os melhores resultados sejam obtidos quando as técnicas manipulativas apropriadas, inclusive a massagem, são combinadas com um adequado programa de repouso ou de exercício, e com agentes ou modalidades, eletrofísicas apropriadas.

O ponto importante a considerar é a aquisição de uma compreensão profunda do problema do paciente, e como este problema afeta os tecidos. É simplesmente uma questão de comparar as necessidades dos tecidos com os efeitos conhecidos da técnica de massagem. Portanto, é bastante adequado que um terapeuta experiente desenvolva própria combinação particular de técnicas de massagem (uma seqüência), a ser usada como parte de um plano terapêutico para alguma doença ou traumatismo localizado.

É importante reconhecer que existem muitas idéias diferentes sobre os movimentos de massagem e seu seqüencialmento. Muitos destes sistemas de massagem foram extremamente populares no início de nosso século e eram então efetivos, como de fato ainda o são; contudo, o desenvolvimento de métodos de reabilitação modernos gerou procedimentos mais efetivos que a simples aplicação da massagem. Por esta razão, hoje em dia a massagem é raramente usada como tratamento exclusivo; de fato, poder-se-ia argumentar que é melhor combinar a massagem com outros tratamentos, para que se faça uma abordagem mais abrangente ao tratamento do problema do paciente. É bastante apropriado selecionar técnicas adequadas e combiná-las com qualquer das técnicas complementares hoje existentes. Esta atitude bem pode resultar em uma "mini-seqüência" de movimentos, planejada visando a obtenção de um efeito específico.

I - O Sistema Hoffa

O trabalho original de Hoffa, Technic der Massage, foi publicado em quatro edições, a última delas em 1993. O sistema desenvolvido por este eminente cirurgião acompanha um padrão anatômico e baseia-se no conhecimento da fisiologia. Os movimentos são aplicados a certos músculos ou grupos musculares; isso contrasta com alguns outros sistemas que aplicam os movimentos a toda uma extremidade, ou a certa área do corpo. Hoffa classificou os movimentos essenciais da massagem como effleurage (alisamento), pétrissage (amassamento), fricção, vibração e tapotement (percussão), tendo afirmado que estas manipulações são apenas uma estrutura, com base na qual um terapeuta experiente, que seja criterioso, pode elaborar um tratamento efetivo para o problema de determinado paciente. Hoffa enfatizou o valor da massagem para o aumento da circulação venosa e linfática.

* Os Movimentos

Segundo Hoffa, a effleurage (alisamento) é empregada visando estimular a circulação nas pequenas veias nos músculos, e sobretudo nas grandes veias ou plexos venosos que se situam nos sulcos entre os músculos individualizados. Isso se concretiza fazendo-se com que a mão se conforme intimamente aos contornos da parte, enquanto o polegar e as pontas dos demais dedos prosseguem trabalhando simultaneamente ao longo destes interstício. O amassamento é empregado sobretudo para aumentar a circulação nos músculos e para a remoção de "produtos" de modo análogo ao que ocorre com a fricção. Os movimentos de fricção são aplicados sobretudo para o desgarramento dos exsudatos, depósitos e espessamentos patológicos presentes nos tecidos em torno de articulações e tendões, e para ajudar na remoção dos dentritos metabólicos através do sistema linfático. A vibração e a percussão são recomendados para aumentar a circulação sangüínea, reduzir a irritabilidade nervosa e aumentar a contração das fibras musculares. Provavelmente, estas técnicas têm pouco valor no tratamento do traumatismo local, mas efetivamente têm alguns usos específicos em certas lesões; por exemplo, as técnicas de vibração podem ser úteis no tratamento de alguns problemas respiratórios.

II - Classificação e Descrição dos Movimentos de Massagem Local

* Alisamento (Superficial ou Profundo)

1. A direção do alisamento profundo é sempre a direção do fluxo sangüíneo venoso e linfático.

2. O movimento é aplicado em toda a extensão do músculo ou grupo muscular, começando na inserção e tendo continuidade até a origem.

3. A mão retorna sobre a mesma área, com uma leve pressão (alisamento superficial).

4. Faz-se com que a mão se conforme à forma do músculo ou grupo muscular, tentando envolver e erguer a massa do músculo ou grupo muscular. Empregam-se as superfícies palmares de mão inteira, ou as falanges distais do dedos (almofadas do dedos) ou do polegar (almofada do polegar), dependendo do tamanho do músculo.

5. A pressão é regulada de acordo com o volume dos músculos: leve no início do alisamento profundo, aumentando sobre a parte mais volumosa dos músculos, diminuindo ao final do alisamento e terminando com um movimento de "espremer". Ao efetuar este movimento, as superfícies de preensão da mão aproximam-se cada vez mais (de forma gradual), a medida que diminui o volume muscular, e que a mão vai se aproximando da origem do músculo. Quando a mão chega ao ponto de origem, ela deve estar em pronação. Assim o volume do tecido que etá sendo massageado é "espremido" da mão, e fica em posição para daar início ao movimento de retorno.

6. Os movimentos devem ser efetuados de maneira rítmica.

7. A velocidade dos movimentos deve ser a descrita anteriormente, no estudo sobre a massagem geral.

* Amassamento

Os movimentos de amassamento no sistema Hoffa são efetuados com uma ou ambas as mãos (amassamento com uma só mão ou com as duas mãos), ou com as falanges distais do polegar e dos dedos indicador e médio de uma ou ambas as mãos (amassamento digital/amassamento com a almofada dos dedos ou do polegar). O amassamento com uma só mão é usado nos músculos que não sejam demasiadamente volumosos a ponto de não permitir a preensão com uma das mãos. Para músuclos muito volumosos, pode ser usado o amassamento com as duas mãos. O amassamento digital é usado em músculos estreitos ou planos, que não podem ser agarrados com facilidade por toda a mão. Como ocorre no alisamento, a mão deve ser conformar ao volume e forma dos músculos, estabelecendo um firme contato. O movimento tem início na inserção do músculo, deslocando-se até sua origem.

* Fricção

A fricção profunda é uma técnica aplicável, nas massagens locais, ao tratamento de cicatrizes e aderências de músculos, tendões e articulações.

III - Técnica para a Massagem Local

Na aplicação dos movimentos de massagem às seções anatômicas de uma extremidade, a parte proximal deve ser tratada em primeiro lugar, seguida dos segmentos mais distais.

* Seqüência de Massagem Local

Extremidade Superior

Braço direito

Parte superior do braço direito

1. Grupo do músculo deltóide

2. Grupo dos músculos extensores (tríceps e ancôneo)

3. Grupo dos músculos flexores (bíceps, braquial e coracobraquial)

Antebraço direito

1. Grupo muscular medial

2. Grupo muscular lateral

Mão direita

1. Músculos da borda radial

2. Músculos da borda ulnar

3. Superfície volar

4. Superfície dorsal

Polegar e demais dedos

1. Superfície dorsal

Extremidade Superior Esquerda (repita todos os movimentos na extremidade superior esquerda)

Extremidade Inferior

Coxa direita

1. grupo da parta de ganso interna( semimembranoso e semitandinoso);

2. grupo da pata de ganso externa (bíceps femoral)

3. Tensor da fáscia lata

4. Grupo dos músculos quadríceps

5. Grupo dos músculos adutores

Perna direita

1. Grupo dos músculos tibiais anteriores

2. Grupo dos músculos peroneais

3. Grupo dos músculos da panturrilha (gastrocnêmio e solear)

Pé direito

1. Borda medial

2. Borda lateral

3. Superfície dorsal

4. Superfície plantar

Dedos do pé direito

Extremidade Inferior Esquerda (repita todos os movimentos na extremidade inferior esquerda)

Cabeça e Tronco

Costas

1. Grupo dos músculos eretores da espinha

2. Grupo dos músculos trapézios e escapulares

3. Grande dorsal

Abdômen

1. Alisamento sobre todo o abdômen

2. Alisamento sobre a área do cólon

3. Amassamento sobre a área do cólon

 

As Técnicas de Massagem em Tecidos Moles como Instrumento de Avaliação

A mão humana é uma das maravilhas da natureza; duas principais funções - sensitiva e motora - podem ser imputada nelas.

I - Alisamento Superficial

O alisamento superficial fornece informações iniciais sobre a pele e os grupos musculares superficiais. Em particular, os locais dos pontos deflagradores e dos pontos de pressão podem, com freqüência, ser identificados pelo uso de manipulações. As alterações observadas após a prática de um alisamento superficial fornecem dados subjetivos e objetivos sobre o efeito dos procedimentos usados.

O alisamento superficial proporciona tempo para que o paciente se adapte ao "toque" do terapeuta, embora alguns pacientes que são "tactilmente defensivos" possam necessitar de uma abordagem modificada. O relaxamento pode ser realçado e avaliado pelo alisamento superficial.

II - Alisamento Profundo

O alisamento profundo (inclusive a effleurage), realizado lentamente sobre grandes áreas, mobiliza os líquidos nos canais linfáticos e venosos. Estes movimentos também podem ser usados no delineamento de vias vasculares, tendões e ligamentos específicos, além das estruturas afins.

As variações especiais destes movimentos, como o rolamento e arrastamento da pele, têm utilidade na identificação de alterações localizadas específicas. Essas técnicas são similares aos movimentos básicos da massagem do tecido conjuntivo.

III - Percussão e Vibração

Percussão e vibração são técnicas usadas sobretudo no tratamento dos distúrbios pulmonares. São utilizadas técnicas percussivas seletivas ou precisamente aplicadas, com o objetivo de testar as respostas reflexas dos músculos; essas técnicas podem ser usadas na estimulação de estruturas ligamentares e tendinosas específicas.

IV - Movimentos de Fricção Profunda

Os movimentos de fricção fornecem a informação mais específica e melhor localizada acerca de certas estruturas do tecido conjuntivo, podendo ser avaliadas a complacência e a aderência.

 

Massagem para Finalidades Específicas

I - Massagem Esportiva

A massagem esportiva vem sendo cada vez mais reconhecida como uma importante modalidade terapêutica, à medida que um número cada vez maior de pessoas de todas as idades se envolve na prática dos esportes.

* Efeitos da Massagem Esportiva

* Diminui as lesões de treinamento;

* Melhora a consistência do treinamento;

* Ajuda a prevenir lesões musculares e tendinosas;

* Promove a cura de lesões agudas;

* Promove a cura completa, ao evitar que problemas agudos tornem-se crônicos;

* Promove a cura de lesões muito prolongadas (rompe aderências para a restauração da mobilidade);

* Reduz os espasmos musculares para a promoção da restauração do funcionamento muscular normal;

* Incentiva uma atitude mental relaxada;

* Aumenta a confiança;

* Capacita o atleta a permanecer no seu esporte por mais tempo.

A literatura não apóia o uso de lubrificantes, cremes ou géis. Para técnicas mais profundas, as substâncias oleosas podem reduzir demasiadamente a fricção, tornando os tecidos escorregadios demais.

É importante que qualquer pessoa que aplique massagem esportiva lembre-se que ela não serve como substituta dos exercícios de alongamento e aquecimento. A massagem deve ser um meio auxiliar destas atividades.

As técnicas da massagem esportiva não são diferentes das usadas para outras aplicações. A escolha da técnica mais eficaz depende da experiência e prática.

Os objetivos da massagem esportiva são: (1) prevenção de lesões (que se concretiza pela manutenção de um comprimento em repouso ideal dos músculos); (2) efeito benéfico duradouro para as lesões agudas e crônicas; e (3) prevenção da dor. Para assegurar que estes objetivos irão se concretizar, recomenda-se a adoção do seguinte regime: (1) a massagem torna-se parte da rotina de treinamento. Ela é ministrada antes do aquecimento e ou tratamento, conforme a necessidade. (2) Técnicas profundas são incluídas na rotina para os músculos, ligamentos e tendões que estejam vulneráveis; e (3) massagem de condicionamento usando técnicas de pétrissage (amassamento) e tapotement (percussão).

Qualquer pessoa que tente aplicar qualquer técnica de massagem, deve compreender os efeitos esperados e as indicações para seu uso. Devem ser levados em consideração a idade e os estados psicológicos e físicos do cliente. Precauções de segurança e contra-indicações também devem fazer parte da linha de raciocínio para a seleçaão das técnicas. O tecido mole deve ser avaliado por observação e palpação para que seja detectada qualquer alteração. A avaliação objetiva da função, comprimento e força dos músculos, e mobilidade e amplitude das articulações, juntamente com um registro acurado dos locais dolorosos proporcionam informações relevantes.

A massagem será aplicada mais adequadamente como parte integrante de um programa terapêutico completo.

* Massagem Pré-evento

Para a promoção da velocidade, força e resistênci, e para evitar lesões, é razoável o uso da massagem para (1) romper aderências, (2) aumentar a nutrição celular; (3) aumentar a circulação e (4) reduzir o espasmo muscular. A duração ideal para a aplicação da massagem é de 20 a 30 minutos antes do aquecimento. A massagem não deve, em si, aumentar a temperatura central do corpo; entretanto, deve aquecer as partes do corpo que irão se beneficiar mais com o aquecimento e alongamento específico subseqüentes.

* Massagem para Lesões Esportivas

Embora seja preferível a prevenção, discutiremos o uso da massagem no tratamento das lesões agudas e crônicas.

* Lesões Agudas

Para as lesões ligamentares e tendinares, é preferível incentivar o desenvolvimento precoce de uma rede fibrilar ordenada.

A fibroplasia pode ser evitada mediante a inibição de uma reação inflamatória.

Lacerações ligamentares recentes respondem bem a fricções menos vigorosas aplicadas imediatamente, para que seja passivamente mantida a mobilidade no ligamento. Fricções transversais leves podem ser aplicadas quando os fibroblastos estão recém-formados, e antes que fiquem firmemente aderidos. Fricções profundas vigorosas são mais apropriadas nos casos de lacerações crônicas. Estes movimentos induzem o efeito atenuador da hiperemia ao aumentar a circulação sangüínea para a área, de modo que a substância P é destruída com maior rapidez. Em decorrência disso, a dor fica reduzida durante o tratamento, que habitualmente leva de 15 a 20 minutos, e por cerca de meia hora depois da massagem.

* Lesões Crônicas

Para a obtenção de efeitos terapêuticos, pode ser efetuado um alisamento profundo com os polegares trabalhando lado a lado ou um após o outro, objetivando a estimulação do fluxo da linfa e a indução da hiperemia nos tecidos mais profundos. Um cotovelo, um ou mais dedos, ou a parte cranial carnuda da palma da mão pode ter utilidade durante o deslocamento ao longo das fibras musculares. A massa dos tecidos do paciente e sua aceitação da técnica que está sendo aplicada determinarão a profundidade da massagem. Outros tipos de massagem e técnicas associadas que podem ter utilidade no tratamento das lesões esportivas crônicas são Cyriax, acupressão/Shiatsu.

Para o espasmo muscular, um suave alongamento após a aplicação de frio ou calor pode reduzir a dor. O alongamento de músculos lacerados apenas aumenta a dor, induz ao maior espasmo nas fibras musculares intactas e estabelece-se um ciclo adverso: mais espasmo leva a mais dor e a menos flexibilidade do tecido. Este ciclo pode ser interrompido pela massagem.

A sensibilidade muscular retardada é um fenômeno que ocorre mais freqüentemente após um exercício ao qual o indivíduo não está acostumado. O espasmo muscular tônico tem sido um achado comum, e em muitos casos de sensibilidade muscular retardata o tecido cojuntivo estava lesionado. Alguns experimentos clínicos descobriram que a massagem pode proporcionar uma recuperação mais rápida e gradual da sensibilidade muscular retardada, em comparação com a ausência de tratamento.

A massagem no tecido conjuntivo para lesões esportivas crônicas pode ser útil, porque esta técnica pode aliviar a dor e aumentar a microcirculação dos leitos vasculares. Para o tratamento das lesões esportivas, em que áreas musculares estão "presas", é provável que traç!oes longas e rasas do tecido conjuntivo sejam eficazes.

* Treinamento e Massagem Pós-evento

O lento alisamento dos tecidos moles e o amassamento dos músculos são dois movimentos amplamente utilizados. Estas técnicas são aplicadas durante 10 a 30 minutos para aumentar o relaxamento, tanto em sessões de treinamento como no dia de um evento. Os maiores ganhos relatados ocorreram na força. Também verificaram que as técnicas de massagem têm uma possibilidade duas a três vezes maior que o repouso, para a promoção da recuperação.

II - Massagem Para Pessoas Idosas e Doentes Terminais

Para pacientes de todas as idades, o uso criterioso da massagem pode diminuir o desconforto das técnicas invasivas; além disso, o paciente também poderá sentir-se mais confiante, acreditando que os outros se importam com ele.

A massagem é particularmente útil para o relaxamento e alívio da dor em pessoas idosas e em pacientes terminais. Certamente, nem todos os pacientes terminais são idosos. Contudo, ao ser efetuada a massagem, devem ser levadas em consideração as necessidades em constante mudança do paciente, como a tolerância, idade e o estado da pele (ressecamento, rigidez, fragilidade) da pessoa.

Na massagem as mãos estimulam receptores sensitivos na pele, e os estímulos resultantes avançam ao longo das fibras aferentes até a medula espinhal, e daí através do sistema nervoso autônomo e central.

As técnicas de massagem que podem ser usadas para pessoas idosas fragilizadas e para pacientes terminais são: effleurage, alisamento e amassamento suave. Com freqüência, a técnica mais válida é a pressão, como no amassamento estático ou com movimentos de espremer.

A boa vontade, tolerância e necessidades de pessoas idosas fragilizadas e pacientes terminais devem orientar a aplicação da massagem. Menos importante que a habilidade técnica das mãos é a intenção da pessoa que está efetuando a massagem, de demonstrar atenção e carinho com o paciente.

III - Massagem em Bebês e Crianças Pequenas

A massagem para bebês é bem conhecida como um meio ideal de promoção da comunicação táctil. Essa prática exerce um efeito benéfico sobre o desenvolvimento, agilidade, e estado emocional. A massagem fortalece o processo de formação de elos efetivos e ajuda a estabelecer uma relação calorosa e positiva entre os pais e a criança.

A massagem é sobretudo útil nas seguintes situações:

* Para o bebê com côlica, que chora ao ser alimentado. Freqüentemente, o bebê continua tenso e irritável muito tempo depois que a causa da cólica foi identificada e tratada;

* Para o bebê ansioso, que não gosta de rápidas mudanças de posição, não necessita de muito sono, e que é hipersensível aos estímulos externos;

* Para o bebê irritável que freqüentemente exibe sinais neurológicos anormais, hiperatividade e reflexos primitivos persistentes;

* Para bebês com distúrbios como dor de ouvido, infecção do trato urinário ou refluxo gástrico.

Bebês que não são particularmente ativos podem ser estimulados, em vez de relaxados, com a massagem que alterna a aplicação de cócegas com uma pressão firme e suave.

A massagem flui da cabeça aos dedos dos pés, abrangendo todo o corpo, tanto na parte posterior como na anterior. A técnica aplicada deve ser o alisamento suave, e a posição deve ser adaptada sempre que o bebê não estiver confortável.

* Cabeça e Face

Com as pontas dos dedos, faça um alisamento desde a cabeça e ao longo dos lados da face.

* Ombros, Braços e Mãos

Faça o alisamento através dos ombros, circundando-os para a frente e pelos braços até as mãos, e em seguida massageie as mãos e dedos do bebê usando o polegar e dedo indicador.

* Peito e Abdômen

Usando as duas mãos, faça o alisamento do tórax a partir do centro, acompanhando a linha das costelas até o lado do corpo. O desconforto abdominal pode ser aliviado pelo uso de movimentos circulares (no sentido horário) em torno do umbigo. Em seguida, acompanhe o trajeto do intestino grosso.

* Pernas, Pés e Tornozelos

Faça alisamentos longos no correr da perna, desde a coxa até os dedos dos pés, em todas as superfícies; em seguida, massageie por meio de movimentos suaves de apertar, como foi feito nos braços. Massageie os tornozelos; depois, apóie o tornozelo e use o polegar para uma firme massagem da sola do pé. Massageie as duas solas. Faça um alisamento firme com os polegares. A fricção conjunta das solas dos pés é agradável e calmante para o bebê.

* Região das Costas

Iniciando pelo pescoço, faça um alisamento pelas costas com a mão espalmada; em seguida massageie suavemente com as pontas dos dedos em um movimento circular, em ambos os lados da coluna vertebral, até as nádegas.

* Nádegas

Dê sacudidelas nas nádegas e aperte suavemente as partes usando o polegar e demais dedos.

* Sucção

A estimulação do reflexo fundamental (de pregueamento dos lábios) faz com que o bebê abra a boca e "afocinhe", em busca do peito da mãe. Esta estimulação pode ser conseguida mediante um suave alisamento, desde a bochecha até a boca. Este contato suave pode ajudar o bebê que está com dificuldade de mamar.

 

Massagem para o Paciente com Distúrbio Respiratório

A remoção do muco dos pulmões e o uso adequado do aparelho respiratório são importantes preocupações do trabalho dos fisioterapeutas nessa área. A remoção do muco aderente, exige a aplicação de técnicas = Drenagem Postural, Técnicas Manuais, Exercícios Controlados.

* Drenagem Postural

Permite que a gravidade promova o movimento das secreções pulmonares na direção da árvore brônquica e traquéia, onde a tosse do paciente ajuda a expeli-las. O posicionamento depende da parte do pulmão envolvido. Emprega-se três posições: sentada com as costas eretas, deitada de costas e deitada de lado.

* Técnica Manuais

* Percussão - Técnica da palmada, mobilização de secreções retidas e aderentes na árvore brônquica. Estes movimentos remetem ondas vibratórias do gracil costal até os pulmões. São aplicadas em postura de drenagem, para ajudar no deslocamento da secreção. É aplicada a técnica com as duas mãos em concha, golpeando a parede torácica de forma rítmica e alternada. Se o paciente achar a percussão desconfortável, pode-se utilizar um lençol sobre a região tratada e depois aplicar a palmada. Usa-se pouca força e aplicada em vários pontos, deverá ser feita durante 3 a 5 minutos.

* Vibração - Também é utilizada com a drenagem postural. A vibração é efetuada após a percussão, durante a face expiratória da respiração do paciente. O tórax é comprimido simultaneamente com movimento vibratório. A compressão é importante para fazer com que a vibração seja efetiva.

O procedimento pode ser repetido várias vezes; à medida que o muco é liberado, o paciente pode sentir vontade de tossir e eliminar as secreções, então recipientes ou panos adequados devem estar facilmente a mão.

Para efetuar a vibração, terapeuta tensiona todos os músculos do braço e ombro em uma co-contração que virtualmente faz o braço tremer, depois transfere o tremor para a parede torácica do paciente.

Para alguns pacientes, a vibração pode ser indicada mesmo quando a percussão não pode ser aplicável, no caso de pacientes submetidos a cirurgias recentes (Toracotomia e coração aberto).

* Contra-indicações e Precauções para Técnicas de Percussão e Vibração

Costelas fraturadas; Tórax frouxo; Hemorragia interna; Câncer ósseo; Idosos; Pós-operatório recente; Enfisema Subcutâneo; Embolos Pulmonares; Queimaduras recentes; Feridas.

Para adquirir experiências na fisioterapia torácica, os terapeutas devem estar habilitados na prática da percussão, vibração, drenagem postural, exercícios respiratórios, programas de exercícios voltados para o paciente com problemas respiratórios. O uso inteligente dos conceituos da fisioterapia torácica, é uma abordagem mais eficiente em termos de custos, principalmente para pacientes com doença crônica, que desejam passar o maior tempo possível em suas casas.

* Objetivos da Fisioterapia Torácica

Impedir acúmulo de secreções; Promover relaxamento; Manter e melhorar a mobilidade da parede torácica; Evitar estase venosa; entre outros.

Massagem do Tecido Conjuntivo

A massagem do tecido conjuntivo é um sistema total de técnicas de massagem especializadas, originalmente desenvolvido na Europa. Este conceito é bem conhecido em muitos sistemas orientais de massagem e métodos tradicionais de tratamento. A intervenção dada a uma arte do corpo é considerada como exercendo um efeito profundo em tecidos aparentemente não relacionados ao local tratado. Acupuntura, reflexologia e o conceito mais moderno de estimulação dos pontos deflagradores compartilham este fundamento conceitual.

I - Zonas Reflexas (Zonas de Head)

Sabe-se desde o final do século passado que uma doença visceral pode causar alterações na pele, em áreas bem definidas do corpo. Estas áreas são conhecidas como "zonas de Head".

Um conceito fundamental é o de que alterações patológicas que afetam qualquer das estruturas derivadas de um somito mesodérmico (segmento discóide) pode, eventualmente, dar origem a sintomas em qualquer das estruturas do mesmo segmento. Por exemplo, problemas do fígado e vesícula biliar podem refletir-se nos segmentos costais posteriores médios a inferiores direitos (T6-10), e na região retal superior direita.

As alterações que podem ocorrer em qualquer das zonas afins são detctáveis pela palpação da área.

Acredita-se que as alterações do tecido conjuntivo nas áreas da superfície corporal correspondam a lesões dos órgãos internos. Com freqüência, as alterações do tecido conjuntivo são visulaizadas como áreas achatadas ou faixas deprimidas, que podem estar circundadas por áreas mais elevadas.

II - Técnica Básica

O tratamento começa com um exame da pele que reveste as costas do paciente. Algumas zonas podem ter um aspecto inchado, enquanto outras parecem estar deprimidas. A palpação diagnóstica pode revelar rigidez e tensão dos tecidos em certa áreas do corpo.

Em seguida ao exame inicial, poderá ter início o próprio tratamento. Comumente são efetuados dois tipos de manipulação - breve e longa. Estes movimentos sempre têm início na região sacral, glútea, ou lombar, nessa ordem. Eles progridem para cima e para fora, na direção das áreas afetadas, com a maior rapidez possível.

As técnicas de MTC podem ser praticadas na maioria das áreas do corpo, não apenas na região das costas.

* Efeitos

Habitualmente o paciente sente uma sensação de corte ou arranhadura, ou possivelmente uma pressão indefinida. Estas respostas desaparecem gradualmente, à medida que o paciente vai se recuperando da condição. São geradas respostas locais e gerais.

* Indicações Terapêuticas

A MTC tem implicações diagnósticas e terapêuticas, tendo sido usada clinicamente no tratamento dos sinais e sintomas dos distúrbios circulatórios, doenças reumáticas, disfunções de órgãos internos, distúrbios dos sistemas nervosos autônomo e central, distúrbios respiratórios, e distúrbios do tecido conjuntivo.

* Duração e Freqüência do Tratamento

Depois do exame inicial em cada sessão terapêutica, poderá ter início o próprio tratamento. Habitualmente cada sessão consiste de um tratamento geral das costas, seguido pelo tratamento específico das várias zonas ou partes das costas, ou de outras áreas do corpo. O tratamento pode ser repetido diariamente para aproximadamente 10 a 12 sessões. Ocasionalmente, alguns pacientes necessitam de cursos terapêuticos mais longos (diversas semanas); opcionalmente, outros pacientes podem demonstrar uma melhora significativa dentro de alguns dias após o início do tratamento.

* Contra-Indicações

As relativamente poucas contra-indicações para a MTC são: certos distúrbios cardíacos, certas condições cutâneas generalizadas afetando as costas (p.ex. psoríase), câncer ou tuberculose, pele cheia de pelos nas costas (o tratamento pode ser muito doloroso), feridas abertas, úlceras, ou outras lesões cutâneas sobre a área a ser tratada.

 

Sistemas Especializados de Massagem

As "terapias do corpo", vem dentro de um contexto de medicina alternativa ou complementar entre elas temos: acumputura, cinesiologia aplicada, osteopatia, terapia de polaridade, integração postural, shiatsu, terapia zonal, etc...

I - Técnicas de pontos deflagradores

Os "pontos deflagradores" e "pontos miodisnêuricos" são pontos ou áreas sensíveis que geram dor a alguma distância, quando são palpados. A dor pode ser aguda localizada que pode irradiar-se até a área referida.

- Restrição de movimento;

- Astenia muscular;

- Espasmo muscular protetor;

- Redução da resistência cutânea;

- Nódulos fibrorados;

- Sinal de "saltar" durante a palpação;

- Pontos deflagradores secundários em músculos agonistas e antagonistas;

- Respostas autônomas.

A dor referida e as respostas motoras, sensitivas e autônomas são melhoradas pela liberação do ponto primário ativo. A palpação cuidadosa e o conhecimento dos pontos ajudam a avaliação dos tecidos moles afins, a pressão contínua sobre o ponto pode ser efetuada com um, dois ou mais dedos, com um cotovelo, ou por um "pregueamento".

I.1 - Regime Terapêutico para os Pontos Deflagradores

- Localizar o ponto deflagrador, que pode estar localizado em faixas fasciais ou musculares enrijecidos ou retesadas, em um ligamento, tendão, etc;

- O tratamento deve ser iniciado com as lesões mais recentes e a deflagração primária gerada;

- Rápidas aplicações de gelo ou spray;

- Alongamento contínuo e suave, com o relaxamento, o músculo alonga-se;

- Pressão contínua por 1 minuto;

- Gelo ou spray novamente.

II - Técnicas de Liberação Miofascial

A fáscia é um tecido conjuntivo que possui 3 camadas: superficial, espaço potencial e profunda, e ajuda a manter a força muscular. As técnicas de liberação miofascial reduzem a constrição e a dor, sem que ocorra o comprometimento da resistência muscular.

A liberação miofascial, juntamente com a estimulação dos pontos deflagradores, é vital para minimizar o processo inflamatório e ajuda na cicatricial. O objetivo da liberação é alinhar o corpo e a reavaliação adequadas do alinhamento postural.

As seguintes suposições são importantes para a técnica miofasciais:

 

III - Técnicas Específicas

As técnicas específicas podem ser aplicadas aos pontos ou áreas de rigidez.

- Técnica de fibras cruzadas;

- Técnicas de pressão;

- Percussão;

- Beliscamento;

- Golpes;

- Piparote.

 

Sistemas Orientais de Massagem

Vários sistemas de massagem estão intimamente ligados e foram adaptados por diferentes culturas em muitos países.

I - Acupressão

Acupressão é a aplicação de pressão aos pontos de acupuntura situados ao longo dos meridianos, ou linhas, no corpo, que avançam desde os órgãos internos até a superfície cutânea.

II - Shiatsu

Shiatsu, que significa "pressão com o dedo", é uma forma de trabalho corporal originário do Japão. Shiatsu inclui a estimulação de pontos e a rotação e alongamento das articulações. As mãos, polegares, cotovelos, antebraços, joelhos e solas ou dedos dos pés são utilizados.

III - Massagem Chinesa Tradicional

Consiste no uso da pressão e fricção conhecida como "massagem Amma". Este sistema de massagem profunda é uma parte tradicional da medicina oriental. A massagem Amma tem sido associada a praticantes cegos, sendo usada na normalização das funções corporais e para incentivar o relaxamento dos tecidos moles cansados. A massagem Amma exerce uma influência calmante do sistema nervoso. Há três categorias de massagem Amma:

* Fricção e pressão, muito parecidas às compressões e fricções da massagem ocidental, mas aplicadas com os nós dos dedos;

* Trabalho com os dedos e palma da mão, como no beliscamento e torcedura;

* Alongamentos passivos para as articulações.

IV - Massagem Tailandesa Tradicional

As reais origens da massagem tailandesa são desconhecidas.

As linhas imaginárias na massagem tailandesa se aproximam muito dos meridianos da medicina chinesa tradicional, juntamente com os fluxos chi, nos quais se situam os pontos da acupuntura. Analogamente, as dez principais linhas da massagem tailandesa tradicional funcionam como caminhos de "energia", ou são descritas como a circulação funcional do corpo.

Afirma-se que as enfermidades e distúrbios funcionais são resultantes da ruptura de uma ou mais das dez linhas principais. Sugere-se que a pressão aplicada a determinado ponto ao longo da linha relevante possa gerar um efeito fisiológico no periósteo, fáscia, músculos, vasos sangüíneos, ou nervos, que é percebido como um impulso motor. Em decorrência disso, a dor pode ser minimizada, a circulação melhorada, os músculos relaxados e o funcionamento dos órgãos pode melhorar.

 

V - Massagem Huna

A massagem Huna é uma combinação singular de técnicas de massagem e tradições curativas originárias no Havaí.

As características desta forma de massagem são a beleza e o rítmo, porque ela é realizada como uma dança. Os passos simples da dança proporcionam a base dos movimentos rítmicos dos braços, que são percebidos como ondas que se movem carinhosamente através do corpo. O uso dos braços em toda a sua extensão assegura um bom contato. A dança passa um sentimento profundo de alegria, constituindo-se em uma base formidável pela qual o doador e o receptor, em conjunto, têm a oportunidade de "recarregar sua energia".

A música que acompanha a massagem tem como origem principalmente a Polinésia - bela, alegre e estimulante. Por meio da dança, da música e do contato são ativados todos os níveis da consciência: físico, emocional, mental e espiritual. A própria massagem incorpora os princípios da effleurage e do amassamento ao longo do tronco e membros, juntamente com um alongamento passivo das articulações, de modo similar à aplicação do Shiatsu.

 

 

Obs.:
- Todo crédito e responsabilidade do conteúdo são de seus autores.
- Publicado em 2003

Artigos Relacionados:
 
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack