gototopgototop

Referência em Fisioterapia na Internet

Referência em Fisioterapia na Internet

FisioWeb em Foco

Reportagens
FisioVídeos

Acesso - Usuário



Nossos Sites

Inform@tivo

Assinar

Assine e receba periodicamente os nossos comunicados e promoções de produtos e eventos.
Termos e Condições de Uso
Banner

Buscador - Artigos

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Convênio - Estácio - FisioWeb
gototopgototop

Inform@tivo

Assinar

Assine e receba periodicamente os nossos comunicados e promoções de produtos e eventos.
Termos e Condições de Uso
Hidroterapia - Método Bad Ragaz E-mail
Avaliação do Usuário: / 9
PiorMelhor 

 

Trabalho realizado por:

Christiane Gama.

Orientador:

Prof. Blair José Rosa Filho.

 

Histórico do Bad Ragaz

1038 - Descoberta da nascente

1242 - Primeiro uso documentado com propósitos curativos

1420 - Construída a primeira casa de banho

1930 - Iniciou-se a terapia ativa no SPA de Bad Ragaz na Suíça

1957 - Nele Ipsen, introduziu técnicas do Dr. Knupfer da Alemanha

Devido ao crescente interesse em 1840, as águas termais foram canalizadas vale a abaixo, para Bad Ragaz foi o início de seu desenvolvimento como um complexo de saúde. Está instalação e águas termais de Bad Ragaz somente servia para imersão passiva. Os pacientes banhavam-se por horas, para aliviarem-se seus padecimentos.

Na primeira parte do séc. 20, os conhecimentos sobre os benefícios médicos dos movimentos começaram desenvolver .Os terapeutas amarravam seus pacientes em pranchas,oferecendo resistência aos seus movimentos. Então em 1930 , terapeutas começaram a tratar ativamente de pacientes com lesões periféricas.


Conceito do Método
Bad Ragaz

É uma coleção de técnicas hidrocinesioterápicas desenvolvidas para aplicação em água quente, com objetivo de promover a reeducação, o fortalecimento, o alongamento, o relaxamento muscular e a inibição do tônus. As propriedades físicas da água como flutuação, turbulência, pressão hidroestática, tensão superficial e capacidade térmica, são usadas para facilitar a recuperação cinético-funcional em um programa de relaxamento muscular, estabilização e exercícios resistidos progressivos.


Contribuição do Dr. Knupfer

* Posição horizontal
* Suporte c/ flutuadores
* Desenvolveu planos de movimento envolvendo várias articulações
* Introduziu conceitos da neurofisiologia
* O fisioterapeuta como ponto fixo, estabilizador do movimento.
* As reações de estabilização adaptadas à tarefa
* Observaram-se sinergias nos padrões de movimentos
* Trabalho isotônico resistido dos grupos musculares agonistas e antagonistas
* A oportunidade clínica do uso do ex. em cadeia cinética fechada com segurança
Knupfer introduziu a flutuação, turbulência, tensão superficial, e temperatura a 33,3ºc


Vantagens Terapêuticas

• Reduzir a dor
• ↑ complacência dos tecidos moles
• Reduzir o tônus muscular
• Promoção do relaxamento diferenciando o exercício na água do exercício ou terra.


Crescimento e Aceitação


• 1967 Dr. Zinn e equipe refinaram e modificaram os exercícios de Knupfer.

• 1967 Os fisioterapeutas Bridget Davis e Verena Laggatt incorporaram os padrões da FNP de Margareth Knott, no que resultou no método dos anéis de Bad Ragaz (MABR).


Comparação do MABR X FNP

• O MABR incorporou premissas básicas da FNP porém modificou-as para a água.
• Corpo estabilizado pelo fisioterapeuta e não pela gravidade.
• Na MBR corpo sustentado por flutuadores; na FNP pela maca.
• Movimentos do paciente ou de água alteram o metacentro.
• No MABR as mãos do fisioterapeuta são o único ponto fixo.
• Na MABR a resistência é manual + água; No FNP é manual.
• A restrição clínica da MABR com a FNP é que embora a amplitude total de movimento possa ser alcançada, o alongamento rápido (passivo) não pode ser executado.


Objetivos do Tratamento

O método é versátil adaptando-se aos pacientes neurológicos ortopédicos e reumatológicos.

1. Redução do tônus.
2. Relaxamento.
3. ↑ Da amplitude do movimento.
4. Reeducação muscular.
5. Fortalecimento.
6. Tração e alongamento de coluna.
7. Melhoria do alinhamento e estabilidade do tronco.
8. Preparação dos mm para sustentação do peso.
9. Restauração de padrões normais de movimento. das extremidades inferiores e superiores.
10. Melhoria da resistência geral.
11. Treinamento da capacidade funcional global.


Técnicas

Isotonicamente

Neste exercício, a resistência é graduada e controlada pelo fisioterapeuta, o qual age como um estabilizador movendo-se a partir do movimento do paciente na água. O fisioterapeuta pode aumentar ou diminuir a resistência, movimentando o paciente na mesma direção (assistido), ou em direção oposta ao movimento (resistido).


Isocineticamente

Neste exercício, a resistência é graduada e controlada pelo paciente, o fisioterapeuta atua como um fixador enquanto o paciente se movimenta. O fisioterapeuta fixa parte do corpo, enquanto o paciente determina a quantidade de resistência proporcionalmente à velocidade do movimento.


Passivamente

O paciente é movido na água, de um lado para outro provocando um alongamento passivo de tronco. Os objetivos desses ex. são o relaxamento, a mobilização, a inibição do tônus muscular e o alongamento de tronco e coluna.


Isometricamente

O exercício isométrico na água é realizado quando o paciente mantém determinada posição, enquanto é movido na água.

A posição do paciente é fixa, sendo que a água provê a resistência para a contração sustentada do paciente.


Posicionamente

O paciente utiliza colar cervical e cinturão pélvico ao nível L1 - S2, podendo-se utilizar “caneleiras”.


Fisioterapeuta
• A técnica exige proporção de 1/1.
• O nível da água não deve ser superior a T8-T10 ou axilar.
• Uso de calçado.
• Pesos nos tornozelos ou cinturões de lastro podem estabilizar o fisiot.
• Posicionamento em geral 1 pé a frente do outro.


Diretrizes do Tratamento

• Atendimentos iniciais de 5`- 15` evitando a fadiga
• Evolução até 30`
• Técnicas de exercícios passivos podem reduzir a hipertonia
• Selecionar grupos p/ evitar ↑ da espasticidade


Progressão do Exercício

Resistência
Quando o corpo é movido ou move-se através de água, a resistência encontrada é a somatória da pressão negativa de trás do objeto, juntamente com as forças de atrito na frente do objeto.

↑ Velocidade →  ↑ fluxo turbulento →  ↑ resistência.

Como ↑ A Resistência ao Movimento

1. Adição de anéis flutuadores ou palmares.
2. ↑ a amplitude de movimento (partir da posição totalmente flexionado).
3. Alteração do braço de alavanca.
4. Mudança da resistência de proximal para distal.
5. ↑ da velocidade do movimento.
6. Alteração da direção de movimento.
7. Uso de inversões rápidas e padrões recíprocos para ↑ do arrasto global.
8. ↑ do suporte de flutuação.


Indicações

* Lesões do N.M.S e N.M.I.
* Disfunções traumato-ortopédicos em que o paciente apresenta déficit cinético-funcional envolvendo ADM, ↑ força, dor, ler-dort, lombalgias.
* Doenças reumáticas (fibromialgias, artroses e artrites).
* Qualquer condição que envolva déficit de musculatura de tronco ou cinturas.
* Associar ao Bad Ragaz técnicas funcionais na água e em terra.


Precauções

* Dor, quadros agudos e instabilidade articular.
* Posicionar-se adequadamente, utilizar mecânica correta.
* Evitar fadiga excessiva.
* Utilizar cuidadosamente as técnicas com pacientes espásticos.
* Monitorar o estímulo excessivo do aparelho vestibular.



Referências

Skinner, AT; Thonson, AM (eds) Duffiels. Exercise in water, 3ª edição. London Bailiere Tindall. 1983.

Routi, RT; Morris, DM; Cole, AJ. Reabilitação aquática. São Paulo. Manole, 2000.

Koury, JM. Programa de Fisioterapia Aquática, São Paulo. Manole, 2000.

Schoedinger, P. Método Bad Ragaz - Valéria Figueiredo Cursos de Fisioterapia, Londrina, 1999 (apostila).

 

 

Obs:

- Todo crédito e responsabilidade do conteúdo é de seu autor.

- Publicado em 27/06/04.


Artigos Relacionados:
 
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack